Pesquisadores americanos descobriram que mulheres que se consideravam otimistas tinham menos chances de morrer de câncer, doenças do coração, problemas de pulmão, derrame ou infecções. Saiba mais sobre o estudo!

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira



Enxergar as coisas de maneira positiva, mesmo enfrentando dificuldades, pode ser a chave para uma vida mais longa. É o que concluiu um estudo feito com 70 mil mulheres, de 58 a 83 anos, e publicado no American Journal of Epidemiology, dos Estados Unidos. 

Os pesquisadores descobriram que aquelas que se consideravam otimistas tinham menos chances de morrer de câncer, doenças do coração, problemas de pulmão, derrame ou infecções. O estudo durou oito anos e levou em consideração outros fatores, como situação econômica, diabetes, pressão alta e depressão. 

O otimismo é uma característica da personalidade de cada um e nada mais é do que a crença de que as coisas terminarão bem, mesmo diante de problemas. Aline Gomes, psicóloga do Rio de Janeiro (RJ), concorda com o estudo. “Ser otimista não significa ser leviano com os fatos reais. Podemos dizer que é ver as oportunidades dentro de uma realidade que nem sempre é aquela que sonhamos. É por isso que essa pessoa não apenas pode ter melhor saúde, mas também melhor qualidade de vida, melhores ocupações... Vale para tudo.”

Quer saber mais sobre dietas? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui