Elas se dedicaram e concluíram uma maratona com muito orgulho e, no meio do caminho, emagreceram e até encontraram o amor de suas vidas. Conheça as histórias e inspire-se!

Texto Amábile Reis | Adaptação Ana Araujo

Completar uma maratona pode até parecer impossível, mas, com esforço e dedicação, você chega lá! Para provar, conversamos com três mulheres reais – que, assim como você, trabalham, cuidam da família e equilibram tudo isso com a rotina de treinos. Conheça essas histórias e inspire-se!

Paula Sícoli se jogou no mundo da corrida por influência de sua mãe

Paula Sícoli se jogou no mundo da corrida por influência de sua mãe

Foto: Arquivo Pessoal

Tal mãe, tal filha

“A corrida está no meu DNA”, garante a profissional de marketing Paula Sícoli, de 27 anos. A jovem pratica o esporte há cinco anos por influência da mãe, a personal trainer Cristina Carvalho. “Minha mãe é corredora há quase 30 anos! Correr ao lado dela foi uma forma de passarmos mais tempo juntas e termos assuntos para compartilhar”, conta. Paula começou com 5K e, dois anos e meio depois – e 15 provas de 21K na bagagem –, conquistou a sonhada maratona. Em 2008, mudou de cidade, mas nunca deixou de dividir suas conquistas com Cristina.

Leia mais:

Maratona: saiba o que fazer para conquistar desejados 42k

“Sempre que atingia uma nova quilometragem, comemorava com ela. Enviava várias mensagens de texto: ‘Atingi 8K!’, ‘10K!’, até chegar, enfim, aos 42. É com ela que divido todos os meus momentos de alegria na pista.” Para manter o rendimento, ela treina um dia sim, um dia não. Durante a semana, são 14K. Já aos sábados e domingos, o trajeto fica entre 20K e 30K. Na semana da prova, ela chega a correr 35K. “Correr requer disciplina. É preciso planejar as rotas com antecedência e nunca se deixar abalar pelo mau tempo. Quando chove, corro na esteira. Um dia sem treinar pode fazer uma enorme diferença lá na frente. Mesmo com cansaço, temos que continuar. O resultado vale a pena no final.”

Daniela Braz emagreceu 8 kg e conheceu seu marido na corrida

Daniela Braz emagreceu 8 kg e conheceu seu marido na corrida

Foto: Arquivo Pessoal

Paixão pelo esporte

Sabe aquela sensação de abrir o armário e não ter nada para vestir? A editora de texto Daniela Braz, de 35 anos, entende bem do assunto. Em 2009, às vésperas de uma festa, ela percebeu que nenhuma roupa lhe servia mais. “Nessa época, estava desempregada e passava a maior parte do tempo em casa. Sem perceber, engordei 8 quilos”, lembra. Para correr atrás do prejuízo, Daniela decidiu caminhar com uma amiga. Sua primeira grande vitória foi ao cruzar a linha de chegada de uma prova de 10K em terceiro lugar. “Era exatamente o estímulo de que precisava. Depois disso, não parei mais e coloquei como meta conquistar uma maratona”, diz.

Leia mais:

Quer correr uma maratona pela primeira vez? Anote essas 7 dicas fundamentais

Em dois anos, com a ajuda de uma assessoria de corrida, realizou seu objetivo. “Para concluir uma maratona, os treinos são bem intensos. Nos dias de semana, faço 10K. Já de sábado e domingo, tento atingir de 22K a 24K”, ensina. Para manter a determinação, Dani contou com a ajuda de colegas do grupo de corrida. “Nas pistas, há muito companheirismo e apoio. Quando corremos, não há preconceito ou distinção de classes”, diz. Graças à corrida, Daniela não só emagreceu com a corrida 8 quilos como também conheceu seu marido. “Ele é meu maior parceiro. Já até levamos nossa filhinha para a sua primeira corrida – empurrei o carrinho de bebê por 5K! Com certeza minha vida se transformou”, comemora.

Suzana Resstom completou uma maratona de montanhas!

Suzana Resstom completou uma maratona de montanhas!

Foto: Arquivo Pessoal

Corredora de carteirinha

A administradora Suzana Resstom, de 30 anos, é uma fanática por esportes. “Nado desde criança e já joguei polo aquático, mas foi na corrida que me encontrei”, afirma. Aos 20 anos, inspirada por sua mãe, que correu sua primeira meia maratona do Rio de Janeiro em 2005, Suzana se matriculou em uma assessoria de corridas e viu suas habilidades esportivas ganharem mais força.

“Participei de corridas de rua de 10K, de montanha de 12K, de aventura, de revezamento, de 75K em trio e de 21K”, afirma. Seis anos depois, enfim, Suzana completou sua primeira maratona – e não foi no asfalto, não! Decidida a encarar grandes desafios, a corredora partiu para a Cruce de Los Andes, maratona de montanhas com cerca de 45K realizada na Patagônia. “Precisei lidar com todas as adversidades possíveis: altitude, frio, lama. Perdi quatro unhas, mas valeu a pena!”.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 322

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título!