Nem sempre aquela tristeza significa que você está com depressão. Antes do autodiagnostico, faça a si mesma essas perguntas

Texto Vand Vieira e Giuliana Cury | Adaptação Ana Araujo

Estou com depressão?

Nem sempre aquela tristeza significa depressão. Fique de olho nos sinais!

Foto: Pixabay

1. Tive uma perda recente?

Se a resposta for sim, acredite, não há o menor problema em se sentir abalada. O perigo mora na forma como lidamos com isso. Evite se entregar à tristeza e não se feche para o mundo. O tempo cura tudo.

2. Minha tristeza é sinal de alguma doença?

Fazer um check-up é essencial na hora de bater o martelo. “O hipotireoidismo, por exemplo, altera a produção hormonal e pode, sim, deixar qualquer um pra baixo”, declara Aline Cristina de Mello, psicóloga do Hospital São Cristóvão Saúde, de São Paulo.

3. Essa sensação pode ser efeito colateral de algum medicamento?

Caso não tenha feito nenhuma mudança em sua rotina, exceto pelo início de algum tratamento com remédios, além de ler a bula, procure um médico para uma investigação mais aprofundada e verifique outras possibilidades.

4. Estou me exercitando o suficiente?

Praticar atividades físicas não é bom apenas para as curvas, mas também para a mente. “É comprovado cientificamente que os esportes ajudam na liberação de endorfina, que faz parte de mecanismos cerebrais que envolvem as sensações de prazer e bem-estar, mas, claro, a possibilidade de conhecer pessoas e lugares e aprender coisas novas também ajuda”, acrescenta Aline Cristina de Melo. Então, nada de sedentarismo, ok? Coloque o corpitcho em movimento pra ontem! Em tempo: fique de olho ainda em outros aspectos da sua rotina: alimentação balanceada, consumo de bebidas alcoólicas e qualidade do sono também interferem – positiva ou negativamente – no seu humor.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 326

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título