Em 01 de agosto comemora-se o Dia Mundial da Amamentação. Descubra os mitos e verdades sobre o leite materno, segundo a opinião do especialista

Por Kelly Miyazato

Aposte nas dicas do especialista para amamentar o seu bebê
Foto: freeimages

Você sabia que para promover o exercício da amamentação natural e combater a desnutrição infantil, comemora-se o Dia Mundial da Amamentação em 01 de agosto? Pois é, de acordo com Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, pós graduado em ultrassonografia Ginecológica e Obstétrica e pós graduado em perícias médicas (SP), é fundamental esclarecer o que é mito e o que é verdade, bem como reforçar sobre a importância do leite materno durante os primeiros 6 meses de vida dos bebês. Confira!

- As mães que acham os leites ralos e fracos podem esquecer essa ideia. É mito! Mesmo que pareça não sustentar a criança, a mãe deve insistir, já que é pela sucção que o leite começa a descer mais facilmente.

- Esqueça os chás e as receitas caseiras de canjica e canja de galinha que teoricamente fazem o leite engrossar. Ao longo do processo das mamadas o leite mais rico em gorduras, proteínas e sais minerais vai chegar.

- “O tamanho das mamas pouco importa na hora de amamentar. Ter mamas maiores ou menores não influencia em absolutamente nada”, afirma.

- Não há mulheres que não produzem o leite materno! O que falta é estímulo para a produção. A mãe tem que ser persistente. A minoria das mulheres com doenças mais graves ou que fazem uso de medicamentos constantes não conseguem amamentar.

- As necessidades do espaçamento da mamada depende muito de cada criança. Portanto, mamar a cada 3 horas não é uma regra válida para todas as crianças.

- Amamentar emagrece sim, já que a produção do leite faz a mulher perder calorias.

 

*Agradecimentos ao Domingos Mantelli – é ginecologista e obstetra, pós graduado em ultrassonografia Ginecológica e Obstétrica e pós graduado em perícias médicas.