Nesta época do ano, é comum haver um aumento nas crises de alergia respiratória, como rinite e asma. Saiba como evitar estes problemas!

Por Carol Salles | Adaptação Ana Paula Ferreira

Lavar bem as mãos ajuda a evitar as crises de

alergia respiratória / Foto Shutterstock

É fato: outono e inverno, as estações mais frias do ano, trazem um aumento nas crises de alergia respiratória, como rinite e asma. São vários os fatores que favorecem o problema: “Há alteração na umidade do ar e mudanças bruscas de temperatura, o que irrita as mucosas. Além disso, permanecemos mais tempo em ambientes fechados e entram em circulação casacos, cobertores e roupas de lã, que estavam guardados, dois fatores que aumentam o contato com ácaros, poeira e mofo”, lista Caroline Adachi, alergologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, de São Paulo (SP). 

Quais são os sintomas?

- Rinite: obstrução nasal, coriza, espirros e coceira no nariz. Também pode surgir coceira no ouvido, garganta, céu da boca; vermelhidão, lacrimejamento e secreção nos olhos.

- Asma: falta de ar, dificuldade de respirar, tosse, chiado e sensação de aperto no peito.

Como minimizar os riscos? 

- Ventile os ambientes, deixando janelas e portas abertas.

- Lave roupas de frio e cobertores antes de usá-los, e deixe-os ao sol por algumas horas uma vez por mês, para evitar a proliferação de ácaros, poeira e mofo.

- Evite mudanças abruptas de temperatura. Mesmo que esteja quente dentro do ambiente, agasalhe-se antes de sair.

- Beba muita água.

- Lave bem as mãos com água e sabonete ou álcool em gel,  cubra nariz e boca ao espirrar, entre outras medidas para evitar resfriados e gripes. Embora causadas por vírus, essas infecções respiratórias podem, sim, desencadear uma crise de alergia.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!