Chega de dúvidas: celulite, varizes e até os quilinhos extras são motivos de preocupação quando o assunto são as pílulas anticoncepcionais. A Corpo a Corpo ouviu a especialista e esclareceu os mitos e verdades

Por: Rita Albuquerque

pilula_anticoncepcional

Os componentes estrógeno e progesterona fazem toda diferença na hora de escolher a

pílula. Consulte o seu ginecologista

Foto: SXC

Conheça o blog Pergunte ao Especialista

Inchaço, varizes, celulite e até os temidos quilinhos extras fazem parte da odisseia que envolve as pílulas anticoncepcionais. Para eliminar de vez as dúvidas e escolher a melhor opção para o seu corpo, desvendamos dez mitos e verdades com a Dra. Elizabeth Leão, ginecologista da Beneficência Portuguesa (SP). Confira:

1. A pílula engorda?

Mito. As pílulas modernas não engordam. Se o corpo está pesando, o aumento de peso pode ter ocorrido pelo excesso de calorias ingeridas, mas não pelo uso contínuo da pílula. Para alguns médicos, o ganho dos (poucos) quilinhos pode estar relacionado ao estrógeno ou à progesterona, componentes do anticoncepcional que podem aumentar o apetite ou causar retenção de líquido nos primeiros meses, e em apenas 15% dos casos.

2. Alguns remédios anulam o efeito da pílula?

Verdade. O uso de alguns antibióticos e medicamentos para o tratamento de epilepsia podem sim interferir no efeito das pílulas. Segundo a ginecologista Elizabeth Leão, o que pode ocorrer é uma alteração metabólica no corpo da mulher justamente no período da interação medicamentosa, o que facilita (e muito!) o risco de uma gravidez indesejada.  A dica é informar sempre ao seu médico sobre o uso de remédios em paralelo.

3. O anticoncepcional aumenta a celulite?

Depende.  A Dra. Elizabeth explica que a celulite está intimamente relacionada à retenção de líquidos, a qual pode ser gerada pelo uso de anticoncepcionais com progesterona, aqueles em que a mulher não menstrua. Mas, na maioria dos casos, a culpa não está apenas nas pílulas: a variação de peso, os maus hábitos alimentares, o sedentarismo e, principalmente, a hereditariedade podem desencadear ou agravar o aspecto casca de laranja.

4. Mulheres que tomam a pílula por anos têm mais dificuldade para engravidar?

Mito. "O organismo precisa de certo tempo para eliminar os efeitos da pílula", explica a ginecologista. Fatores como a idade e a própria infertilidade não diagnosticada no passado podem influenciar a demora ou a impossibilidade de engravidar

5. Anticoncepcionais causam varizes?

Depende. A progesterona pode gerar a vasodilatação, culminando no aparecimento de varizes em casos mais raros. "O problema geralmente ocorre em mulheres que tomam a pílula e que já possuem uma forte predisposição genética a desenvolver as indesejadas varizes", explica a médica.

6. A pílula aumenta as chances de câncer de mama?

Mito. Não há estudos que comprovem a associação da pílula ao câncer de mama.

7. A retenção de líquidos pode ser ocasionada pelo uso do anticoncepcional?

Verdade. A retenção de líquidos pode sim ocorrer quando as pílulas possuem o componente progesterona em sua fórmula.

8. O efeito da bebida alcoólica pode influenciar o uso da pílula?

Mito. Moderadamente, o álcool não influencia o anticoncepcional. Mas, se houver abuso, o excesso da bebida pode inibir a ação da pílula e prejudicar a sua eficácia, explica a Dra. Elizabeth.

9. Parar de tomar pílula causa acne?

Depende. Quando usada como forma de tratamento à acne, suspender a pílula pode sim interferir na textura da pele. Caso contrário,  não há alterações na incidência de cravos e espinhas.

10. A combinação anticoncepcional e cigarro é perigosa?

Verdade. Juntos, cigarros e pílulas anticoncepcionais aumentam em até oito vezes os riscos de trombose, principalmente em mulheres acima dos 35 anos. Segundo a ginecologista, a predisposição genética também é um fator de risco para o problema.

*Dúvidas respondidas pela médica ginecologista Elizabeth Leão, da Beneficência Portuguesa (SP).

Tem alguma dúvida? Envie para sitecorpoacorpo@gmail.com. Se selecionada, sua questão pode ser respondida por nossos especialistas.