A caspa incomoda, deixa os cabelos feios e ainda pode causar situações embaraçosas. Veja como se livrar da caspa

Reportagem: Carla Festucci

livre-se da caspa

A caspa gera coceira, fios com aspecto de sujos e pontinhos

brancos na roupa. Livre-se dela!

Foto: Danilo Borges

Quem já sofreu com caspa sabe o quanto ela incomoda. Se você convive com caspa, às vezes tem vontade de arrancar os cabelos, não é mesmo? A caspa atinge de 2 a 5% da população e, além de provocar coceira, também pode ser bem embaraçosa, deixando os fios com aspecto de sujos. Isso sem contar a tristeza que são os pontinhos brancos na roupa (principalmente as pretas!).

Na verdade, caspa é o nome informal que se dá à Dermatite Seborreica, uma doença que se caracteriza por lesões avermelhadas com descamação, que atinge principalmente o couro cabeludo, mas também as sobrancelhas, face e, com menos frequência, a região do peito, axilas e virilha.

Segundo o dermatologista Francisco Le Voci (SP), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a causa da caspa não é totalmente esclarecida. "O que geralmente se observa é uma alteração nas estruturas da pele chamadas de glândulas sebáceas e também o componente imunológico. Observa-se ainda uma predisposição familiar, além de certa predominância no sexo masculino", afirma o especialista.

Tratamento

De acordo com Le Voci, o tratamento da caspa depende do local acometido. No couro cabeludo geralmente são utilizados xampus à base de enxofre, ácido salicílico, piritionato de zinco, cetoconazol, ciclopirox olamina, sulfacetamida sódica, entre outros. "Dependendo da gravidade podemos associar xampus e loções com corticóides", indica o dermatologista. Já na face ou em outras áreas da pele, podem ser utilizados cremes de corticóide, cetoconazol, além de sabonetes específicos para pele oleosa.

Os produtos anticaspa devem, em geral, ser usados diariamente, dependendo da intensidade do quadro, a qual deve ser avaliada por um dermatologista.

Xô, coceira!

Normalmente a coceira é aliviada assim que se inicia o tratamento adequado. "Em casos muito intensos podemos lançar mão de algum medicamento por via oral que alivie a coceira, se ela estiver muito forte", afirma o especialista.

O ideal é que as pessoas busquem orientação de um dermatologista para avaliar a intensidade do quadro e aí sim prescrever o tratamento adequado. "Somos contra a automedicação", finaliza Le Voci.