assine

Cadastre seu e-mail e receba todas as novidades da Corpo a Corpo



Texto Ana Paula Ferreira

Os médicos indicam o intervalo de quatro a seis semanas

de abstinência para que o aparelho reprodutor

feminino se restabeleça / Foto Shutterstock

As relações sexuais durante o período pós-parto ainda geram muitas dúvidas entre as mulheres e seus parceiros. “Grande parte delas fica com a libido muito baixa após o nascimento do neném. Isto faz com que a diminuição ou perda do apetite sexual ocorra por um período bem mais longo do que o intervalo de quatro a seis semanas de abstinência recomendado pelos médicos para que o aparelho reprodutor feminino se restabeleça”, explica a sexóloga Natália Barros, de Brasília.

Para esclarecer algumas destas questões, a profissionais listou pontos importantes sobre o sexo após o parto e durante o período de amamentação. Confira! 

Orientações médicas 

É fundamental aguardar a liberação do médico para voltar a ter relações sexuais. “Primeiro, em casos de parto normal, o períneo (área vaginal) precisa de tempo para se recuperar dos pontos, cortes ou dores resultantes do nascimento. Se você tiver relações sexuais muito cedo, você pode danificar o períneo, causando infecções e mais danos a esta área sensível”, ressalta Natália. Em segundo lugar, quando a placenta se separa de seu útero, ela deixa uma \"ferida aberta\" dentro dele. De acordo com a sexóloga essa ferida não é motivo para preocupação (uma grande parte de seu sangramento pós-parto vem dessa ferida), mas seu corpo precisa de tempo para recuperar e cicatrizar. Por este motivo, é importante evitar duchas internas, sexo, tampões e coletores menstruais por cerca de seis semanas após o nascimento. Você não deve introduzir nada que possa causar uma infecção. No entanto, alguns médicos vão te liberar antes de seis semanas se você tiver um forte desejo sexual, portanto, deve verificar com ele. 

Seios 

Se os seios da mulher estiverem doloridos ou se eles vazam leite quando tocados, é preciso considerar posições alternativas ao papai-mamãe. A posição da mulher por cima ou de quatro podem ser mais confortáveis, por exemplo. O ideal é evitar que os seios sejam apertados. Vale até uma conversa com o parceiro para que ele evite tocar os seios durante as preliminares e no sexo”, aconselha a profissional. A dica é usar um sutiã com bojos caso esteja preocupada com a reação do parceiro ou em fazer sujeira nos lençóis caso ocorra vazamento de leite.  

Lubrificante 

Durante a amamentação, a mulher pode ter uma escassez de lubrificação vaginal. Um lubrificante a base d’água alivia qualquer desconforto para você e seu parceiro.  

Paciência 

Muitas mulheres se sentem cansadas quando dão de mamar a cada hora. Com isso, podem não querer ter relações sexuais por se sentirem sobrecarregadas para pensar em sexo depois do nascimento do bebê. Em situações como essa, é importante conversar com seu parceiro. “Muitos homens expressam afeto e conforto através de relações sexuais. Deixe seu parceiro saber como você está se sentindo e encontre outras maneiras especiais para transmitir o quão importante ele é para você.” 

Evite uma nova gravidez 

“Você pode ter ouvido que a amamentação é um contraceptivo natural. Embora seja verdade, esta forma de controle de natalidade é imprevisível e tem um elevado insucesso. Considere utilizar um preservativo ou outro método de barreira. Se você não quiser usar a pílula, converse com seu médico sobre como utilizar um hormônio leve para controle de natalidade. Se você quiser utilizar uma técnica natural contraceptiva, faça pesquisas sobre como determinar quando se começa e termina a ovulação”, orienta Natália.

Continue Lendo >>

Texto Ana Paula Ferreira

Aposte no escalda-pés para relaxar depois de uma semana

cansativa / Foto Shutterstock

Depois de encarar a correria do dia a dia durante toda a semana, nada mais justo do que ter um tempo para desacelerar, descansar com bastante tranquilidade e até mesmo curtir um day spa bem gostoso. E ao contrário do que muitas mulheres pensam, não é necessário desembolsar um valor alto para relaxar com os serviços de algum lugar luxuoso. Com poucas dicas, é possível fazer seu próprio dia de spa em casa. Abaixo, a diretora da Natural Wonder, Valéria Simonini, listou 4 lições para você fazer um day spa caseiro inesquecível!

1. Prepare o ambiente: Escolha um dia sem interrupções, em que a casa seja só sua, desligue seu celular por algumas horas. Acenda algumas velas, pois a luz e as sombras produzidas pelas chamas são altamente relaxantes.

2. Conecte-se com si mesma: Mentalize os benefícios que seu corpo receberá neste dia especial – e que ele tanto merece. Faça pensamentos positivos, com sentimentos de gratidão, para que possa aproveitar todo momento.

3. Banho com Ervas: Prepare um banho revigorante com lavanda, que é utilizada para relaxar, aliviar dores de cabeça e stress, enxaquecas e até mesmo insônia. Ela também pode também ser usada no combate de cólicas menstruais, pés inchados e para dormir bem.

4. Escalda-pés: Para diminuir o inchaço e retenção de líquido, coloque 1 colher de sopa de sal rosa do himalaia em 1 litro de água morna. Assim, as pernas relaxarão e serão tonificadas, a partir do momento que a transpiração será ativada e, consequentemente, será feita a eliminação de toxinas.

Continue Lendo >>

Por Daniel Navas | Adaptação Ana Paula Ferreira

As causas mais comuns das cãibras são excesso de

sobrecarga, falta de alongamento e desidratação.

Foto Shutterstock

O dia foi cansativo, repleto de reuniões e você, claro, quis fechar o dia com um treino caprichado para aliviar o estresse. Ou se empolgou com a série nova na academia e, na metade das repetições, sente aquela dor que parece repuxar o músculo da coxa ou da panturrilha. É a cãibra dando o ar da graça.

O problema, uma contração muscular involuntária, tem diversas causas e “as mais comuns são excesso de sobrecarga, falta de alongamento e desidratação”, aponta Fellipe Savioli, ortopedista e médico do esporte (SP).  A gente detalha agora as razões que podem fazer essa dor chata aparecer e estragar todo o seu treino e como você pode mandar o incômodo para bem longe da malhação.

1. Você não cuida da recuperação pós-treino

Às vezes, tudo de que você precisa para prevenir cãibras é agendar uma massagem desportiva com mais frequência. A técnica, bastante usada por atletas profissionais, é feita com manobras fortes e ágeis, que estimulam a circulação e ajudam a liberar o ácido láctico após a atividade.  “O acúmulo dessa substância no organismo também é causador das cãibras”, esclarece Fabyola Bunin,  massoterapeuta e proprietária do Acqua Brasil Spa, no Rio de Janeiro.

2. Está tomando remédios que são vilões 

Diuréticos e estatinas (usadas no tratamento do colesterol alto)  aumentam a ocorrência de cãibras por provocar desidratação e interferir no metabolismo de sódio, potássio, magnésio e outros minerais. A má circulação sanguínea é outra vilã, pois afeta a quantidade de sangue injetada nas células musculares e favorece os espasmos. Nesse último caso, uma boa solução é colocar as pernas para o alto algumas horas por dia. “Isso melhora o retorno venoso, ou seja, o transporte de sangue das pernas para o resto do corpo”, esclarece Leandro Pessoa Olivério, especialista em fisiologia do exercício e diretor técnico da LPO Assessoria Esportiva (SP). 

3. Não se hidrata como deve durante o exercício 

Respeitar os seus limites e não treinar além da intensidade para a qual seu corpo está preparado é mais uma atitude chave para evitar as dores. “Lembre-se que toda atividade física aumenta a temperatura corporal e, para equilibrá-la, o organismo recorre à sudorese. Nesse processo, acontece a eliminação de água e eletrólitos (minerais como sódio, potássio e magnésio)”, descreve Leandro Olivério. “Sem a concentração adequada desses minerais nas células musculares, a condução nervosa fica prejudicada e é isso que pode favorecer o aparecimento das cãibras”, completa o fisiologista.

Não acabou por aqui, não! Na edição 337 da Corpo a Corpo você encontra mais razões do surgimento das cãibras! Então corra para a banca ou adquira a sua CORPO aqui → https://goo.gl/CKsu5W

Continue Lendo >>

Por Juliana Vaz | Adaptação Ana Paula Ferreira

Um tom de verde musgo com um toque de amarelo intenso. Assim é o “Greenery”, cor tendência para 2017, segundo o instituto americano Pantone, que dita a linguagem mundial de cores. Na moda, no visual e na sua bancada de cosméticos, o verde é inspiração certeira para esse ano. Confira abaixo 7 produtos com esta cor e arrase!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Segundo dados do Ministério da Saúde, 200 mil brasileiros

morrem precocemente todos os anos devido a doenças

associadas ao fumo / Foto Shutterstock

Parar de fumar quase nunca é uma tarefa fácil. Não à toa, cerca de 25 milhões de brasileiros são fumantes, pelos dados do Ministério da Saúde. “Geralmente, o vício começa aos poucos, por influência de pais ou amigos e associado a algum hábito, como tomar café e comer”, afirma o psiquiatra Daniel Sócrates, de São Paulo. “A percepção da dependência só vem quando a pessoa tenta parar e não consegue, nota um aumento na quantidade diária de cigarros consumidos ou fuma sem haver um motivo ou momento específico”, completa. Atenção às quatro dicas do especialista para quem deseja vencer o vício:


1. Descubra o que funciona para você

É possível parar de uma vez ou aos poucos, traçando metas periódicas de redução. Para descobrir a melhor estratégia para você, busque ajuda profissional.

2. Seja otimista

Pesquise e converse com seu médico a respeito da importância de ficar longe do tabaco e da nicotina e mantenha o foco nos benefícios. 

3. Encontre maneiras de relaxar

Praticar atividade física, sair com os amigos e adotar um hobby tira o foco dos problemas e dá um chega pra lá no estresse e na ansiedade, potenciais gatilhos do tabagismo. 

4. Não troque um vício por outro 

Fique atenta às suas atitudes para não descontar na comida a ausência das substâncias tóxicas do cigarro.

Quer conferir mais dicas de saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Aposte em alimentos ricos em lisina para prevenir a

manifestação da herpes / Foto Shutterstock

O sol é um senhor vilão da herpes, causada por um vírus que fica alojado na pele e se replica ao menor sinal de fraqueza na imunidade. No verão, quando estresse, excessos na alimentação e no consumo de bebida alcoólica e maior exposição ao sol favorecem uma queda nas defesas do organismo, é natural que ele se manifeste com frequência. “A radiação solar prejudica os linfócitos e inibe a atividade das células que atuam como guardiãs da pele”, alerta a dermatologista Christina Blatner, de São Paulo. 

A prevenção também passa pelo prato – turbine o seu com alimentos ricos em lisina (carne vermelha, soja e frutos do mar), nutriente que ajuda a impedir a replicação do vírus. Medicamentos por via oral são uma solução (a ser prescrita pelo médico) para quem costuma ter mais de seis crises de herpes por ano.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Juliana Vaz e Victoria Bassi | Adaptação Ana Paula Ferreira

O aroma de jasmim também é um afrodisíaco natural

Foto Shutterstock

O aroma marcante e superfeminino da flor de jasmim ajuda a afastar o mau humor e diminuir o estresse, de acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Health Research. Na aromaterapia, o cheiro ainda é conhecido como um analgésico e afrodisíaco natural

Como fragrâncias à base de jasmim têm tudo a ver com o calor, não custa colocar em teste tantas propriedades, não é? Confira abaixo 3 sugestões de perfumes com este aroma!

1. Eau de Toilette Jasmim & Bergamota, L´Occitane em Provence, R$ 285

2. Afnan, Asgharali, R$ 670

3. Body Mist Indian Night Jasmine, ¬ e Body Shop, R$ 74

Quer conferir mais dicas de beleza? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Victoria Bassi

Antes e depois de Gislaine emagrecer 47kg!

Foto Acervo Pessoal

A paulista Gislaine Roberta D´Aro, 39 anos, sempre foi ansiosa, do tipo que recorria à comida tanto para aplacar o sofrimento quanto para celebrar a felicidade. Depois de um período em que enfrentou uma depressão, a situação se agravou: ela engordou mais de 40 kg em um ano, alcançando 107 kg (para 1,65 m de altura). 

Apesar de saber dos prejuízos para a saúde e de se incomodar com os comentários de mau gosto que ouvia, não encontrava motivação para mudar. Os hábitos alimentares eram um exagero: comia três pães no café da manhã, o prato do almoço serviria tranquilamente quatro pessoas e, no jantar, beliscava sanduíches e biscoitos com refrigerante.

As consequências vieram com o tempo: fraqueza, falta de ar, um cansaço sem fim. Foi então que ela resolveu procurar um médico, que alertou a ela e à família: além do colesterol altíssimo e do diabetes, havia o risco iminente de um colapso. Gislaine saiu da consulta decidida a lutar pela própria vida.

A reeducação alimentar, feita com ajuda de uma nutricionista, foi menos difícil do que pensava porque, afinal, ela sabia o que devia ou não comer – apenas não colocava em prática – e tinha consciência do perigo que a saúde corria. “Passei a me alimentar a cada três horas, escolher melhor o que colocava no prato e cortei frituras e refrigerante.  Daí em diante só obtive bons resultados”, conta.

Sedentária por uma vida inteira, Gislaine lembra que o pior pesadelo era a academia. Nem o marido, atleta de bodybuilding, conseguia incentivá-la a começar a malhar. “Me matriculava e logo desistia”, revela. No entanto, à medida em que a dieta levava embora os quilos extras, ela ficava mais animada e interessada em se mexer mais. 

Hoje, faz musculação todos os dias, além de spinning e muay thai – e ninguém acredita que ela acorda às 5 da manhã para ir à academia! Lá se foram 47 kg e agora o foco é ganhar massa muscular. “Me sinto vitoriosa e orgulhosa por ter mudado meu estilo de vida. Não quero saber de outra coisa.”

Dicas da Gislaine

Descubra o que a faz feliz

Quando você encontra uma atividade física que dá prazer, aquilo que no início pode até ser a pior hora do dia (ou seja, o horário de ir para a ginástica) se transforma no melhor momento de todos.

Coloque-se em primeiro lugar

Aderir a um exercício precisa ter uma motivação maior do que por estar na moda ou ser a aula que sua blogueira preferida pratica. Não tenha receio  (nem preguiça) de testar várias e escolher uma (ou mais de uma!)  que se encaixe na sua rotina e combine com a sua personalidade.

Quer conferir mais sobre dieta e treino? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Thais Szegö | Adaptação Ana Paula Ferreira

Os cuidados com as lentes de contatos devem ser redobrados durante o verão

Foto Shutterstock

 É na estação mais quente do ano que você passa mais tempo ao ar livre, entra e sai várias vezes por dia de ambientes com ar-condicionado, mergulha no mar e na piscina, tem mais chance de viajar de avião e se submete a outras situações que representam desconforto para os olhos, principalmente para quem usa lente de contato.

O que muita gente não sabe é que alguns desses incômodos podem significar perigos maiores para a vista – tanto que os médicos contabilizam um aumento considerável de problemas oculares nos meses de calor. Consultamos os especialistas para saber como garantir a saúde dos olhos durante essa temporada – para você voltar das férias apenas com um belo bronzeado e ótimas lembranças.

Como evitar o ressecamento pelo ar condicionado?

Esse tipo de equipamento resseca a umidade natural dos olhos, causando ardência, vermelhidão, lacrimejamento, embaçamento e sensação de corpo estranho nos olhos. “Para minimizar desconfortos, o indicado é piscar com frequência e utilizar colírios adequados para o uso com lentes, que devem ser receitados por especialistas”, orienta Roberta Zaqui, oftalmologista do Instituto Paulista de Visão, ambos em São Paulo. “Outra recomendação importante é evitar ficar próximo à saída do ar-condicionado ou na frente do ventilador”,  acrescenta Lisia Aoki, oftalmologista do Hospital das Clínicas de São Paulo.  Utilizar um umidificador de ambiente também é uma boa.

Posso ir à praia com lentes?

Sim, desde que tomando alguns cuidados. O calor e o vento aumentam a presença de partículas em suspensão no ar, o que eleva o risco de ressecamento e desconforto nos olhos. “Você até pode usar lentes na praia, mas prefira as de descarte diário a fim de evitar contaminação”, destaca Roberta Zaqui. Um risco nesse ambiente é a lente entrar em contato com protetor solar e suor. Se acontecer, tire-as e lave-as imediatamente com uma solução específica, como ensina o oftalmologista Renato Neves, de São Paulo. No verão, pelo menos duas coisas têm que estar sempre à mão de quem usa lentes:  colírio lubrificante ou soro fisiológico, para higienização e contra desconfortos, e óculos de sol, para reforçar a proteção.

E mergulhar com elas?

Se conseguir ficar 100% do tempo de olhos fechados embaixo d´água, no mar ou na psicina, tudo bem. Usar óculos de natação é uma boa para quem precisa de graus mais altos de correção – para pessoas com graus mais baixos, o melhor é dispensá-las nessa situação. “A água é um veículo de contaminação que pode resultar em infecções e até na perda da visão”, avisa Lisia Aoki.

Preciso tomar algum cuidado para passar e tirar a maquiagem?

O certo é colocar a lente antes da aplicação do make, que deve ser, de preferência, à prova d’água e hipoalergênico, tipos que costumam liberar menos partículas. O ideal é não passar lápis na linha d’água, para evitar contato direto do cosmético com a lente. Na hora de se demaquilar, remova primeiro as lentes e lave-as para eliminar resquícios de produto.

Quando é indicado optar pelas descartáveis?

Isso costuma ser decidido pelo oftalmologista de acordo com critérios como o tipo de problema do paciente, o grau de correção necessário, o número de horas diárias que passa com as lentes e hábitos no dia a dia. Mas elas geralmente são as mais adequadas para uso eventual (como quem usa óculos e quer ir sem eles a uma festa), na prática de esporte (em ambiente aquático ou não) e para quem não deseja se preocupar com a higienização diária ou é sensível aos produtos utilizados nesse processo. “E é importante respeitar o limite de uso indicado pelo fabricante, assim como fazer o descarte antes desse prazo se as lentes estiverem muito sujas, rasgadas ou contaminadas, como em uma conjuntivite”, diz Lisia.

Há alguma doença que pode ser causada pelas lentes?

O mais comum é desenvolver reações alérgicas e sofrer alguma infecção por causa de microrganismos que passam da lente para o olho. O risco extremo é a evolução para uma úlcera na córnea, que consiste em uma lesão ou destruição de parte do tecido e pode progredir para a perda da visão. Em todos os casos, a higiene é a principal prevenção. “Lavar as mãos antes de colocar as lentes, utilizar produtos próprios para a limpeza e armazená-las da forma correta é imprescindível”, observa Renato Neves.

Quer conferir mais dicas de saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Diego Benine | Edição Paula Lima | Adaptação Ana Paula Ferreira

As questões são representadas em uma caixa de areia

em uma sessão de terapia junguiana / Foto Shutterstock

Conhecida como psicologia analítica, a terapia junguiana foi desenvolvida pelo médico suíço Carl Jung (1875-1961), discípulo de Freud. A ideia é trabalhar aspectos do inconsciente, bem como pensamentos coletivos que interferem na saúde emocional

Para extrair esses elementos, os psicólogos usam não só o diálogo direto, mas também pinturas, hipnose e diários para o registro de sonhos. Outra técnica sugerida é o sandplay: o paciente utiliza objetos para criar cenários em uma caixa de areia e, dessa forma, expressar características pessoais que ele mesmo desconhece. 

Recomenda-se, geralmente, uma sessão semanal de 50 minutos. Cada uma custa, em média, R$ 300. Segundo a psicóloga Denise Gimenez Ramos, de São Paulo, os resultados tornam-se mais visíveis após o terceiro mês de tratamento.

A indicação é para quem busca o autoconhecimento – não é preciso ter um problema pontual para iniciar as sessões.

Quer conferir mais dicas de saúde e bem-estar? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Diego Benine | Edição Paula Lima | Adaptação Ana Paula Ferreira

As questões são representadas em uma caixa de areia

em uma sessão de terapia junguiana / Foto Shutterstock

Conhecida como psicologia analítica, a terapia junguiana foi desenvolvida pelo médico suíço Carl Jung (1875-1961), discípulo de Freud. A ideia é trabalhar aspectos do inconsciente, bem como pensamentos coletivos que interferem na saúde emocional

Para extrair esses elementos, os psicólogos usam não só o diálogo direto, mas também pinturas, hipnose e diários para o registro de sonhos. Outra técnica sugerida é o sandplay: o paciente utiliza objetos para criar cenários em uma caixa de areia e, dessa forma, expressar características pessoais que ele mesmo desconhece. 

Recomenda-se, geralmente, uma sessão semanal de 50 minutos. Cada uma custa, em média, R$ 300. Segundo a psicóloga Denise Gimenez Ramos, de São Paulo, os resultados tornam-se mais visíveis após o terceiro mês de tratamento.

A indicação é para quem busca o autoconhecimento – não é preciso ter um problema pontual para iniciar as sessões.

Quer conferir mais dicas de saúde e bem-estar? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Diego Benine | Edição Paula Lima | Adaptação Ana Paula Ferreira

A ideia da psicanálise é que o paciente entenda o que acontece dentro de si mesmo 

Foto Shutterstock

Antes de mais nada, é bom que se diga: terapia não é coisa de louco. “Qualquer pessoa que se sinta perdida ou insatisfeita com suas escolhas em algum momento da vida pode procurar um psicanalista ou psicoterapeuta e iniciar um processo de autoconhecimento”, diz a psiquiatra e psicanalista Helena Masseo de Castro, membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. 

Desde que o neurologista austríaco Sigmund Freud (1856-1939)  elaborou a chamada “cura pela fala”, criou-se uma enorme variedade de tratamentos baseados nesse princípio, entre eles a psicanálise.

Um dos princípios da terapia criada por Freud é a associação livre – você pode conversar sobre qualquer assunto com o analista. Ele, por sua vez, ajuda a interpretar as informações, para identificar bloqueios emocionais, traumas, medos e inibições. 

A ideia da psicanálise é que o paciente entenda o que acontece dentro de si mesmo e descubra a melhor forma de agir. O divã é usado porque impede a troca de olhares – evitando, assim, a busca por aprovação ou outras reações no rosto do terapeuta. O tratamento se dá em sessões de 50 minutos cada uma e pode durar anos. É um processo caro: o valor médio de cada encontro é R$ 300. Mas se trata de um investimento para a vida toda, pois o paciente amadurece emocionalmente e ganha qualidade de vida.

Quer conferir mais dicas de saúde e bem-estar? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock

Veja algumas formas de prevenir a infecção urinária

Foto Shutterstock

Com a chegada do verão, a incidência de infecções urinárias costuma aumentar. Ainda assim, existem muitas dúvidas a respeito desta patologia. Para esclarecer algumas delas, consultamos a ginecologista Regina Paula Ares, de São Paulo, que listou 9 mitos e verdades sobre o problema e sua prevenção. Confira! 

1. Urinar depois do sexo é recomendado

Verdade. Durante o sexo, o corpo humano entra em contato com muitas bactérias que, por consequência, podem acabar entrando tanto no canal urinário feminino quanto no masculino. Eliminar o xixi após a prática pode ajudar a remover as possíveis bactérias que se acumulam durante a relação. 

2. Sempre que houver ardor ao urinar o motivo é a infecção urinária 

Mito. Segundo pesquisas, apenas 20% dos casos de dor e ardor são infecções urinárias. Os outros 80% não apresentam alterações que comprovem. Esse problema pode estar relacionado a infecções ginecológicas, traumatismo local ou irritações.

3. Evitar segurar a urina

Verdade. O fato de reter a urina favorece um aumento da população bacteriana da flora local, podendo ocasionar a infecção. O nosso trato urinário tem uma flora bacteriana própria, que coloniza o sistema e é eliminada periodicamente ao urinar.

4. A limpeza após a evacuação não pode causar infecção urinária

Mito. Em quase 90% das vezes a bactéria Escherichia coli, que habita o intestino, é a culpada. Por isso, é tão importante fazer corretamente a higiene íntima, limpando sempre da vagina em direção ao ânus.  

5. Os problemas ginecológicos favorecem o surgimento da patologia 

Verdade. As mulheres com infecções vaginais ou corrimentos estão mais predispostas à infecção urinária. A proximidade entre a vagina, ânus e uretra, facilita a contaminação. 

6. A ingestão de álcool e cafeína não influenciam na contaminação 

Mito. É necessário reduzir consumo desses itens pois eles podem enfraquecer o sistema de defesa do organismo. 

7. Evitar o uso de biquíni molhado por longos períodos é uma forma de prevenção 

Verdade. O uso prolongado de peças molhadas, como biquínis ou bermudas, aumenta as chances decontrair a doença, devido à proliferação facilitada de bactérias patogênicas (agressoras) no sistema urinário.

8. Usar roupas justas ou de fibras sintéticas não interfere no desenvolvimento da patologia

Mito. O hábito pode, sim, contribuir para o aparecimento dos sintomas, uma vez que a falta de ventilação pode facilitar na proliferação das bactérias. 

9. Trocar o absorvente íntimo com frequência reduz a incidência da patologia 

Verdade. A presença de umidade e sangue aumenta muito o risco de proliferação de bactérias. Portanto, o correto é não deixar o absorvente íntimo ficar cheio por muito tempo, principalmente se for um absorvente externo, que pode deixar a pele ao redor da uretra úmida e com sangue. Ainda há controvérsias entre os especialistas sobre qual tipo de absorvente é o mais perigoso: internos ou externos. Na dúvida, independentemente do absorvente usado, troque-o com frequência.

Continue Lendo >>

Texto Helena Dias | Adaptação Ana Paula Ferreira

Escolha o banho que mais se adequa ao que você

quer atrair em 2017 / Foto Shutterstock

Se você é do time das que acreditam em supertições, deve estar curiosa para aprender receitas de banho para a chegada do Ano Novo, não é? Abaixo, você confere 4 sugestões da  aromaterepeuta Sâmia Maluf, da By Samia Aromaterapia, para atrair energias positivas, paz espiritual, dinheiro e amor. Aposte nelas e entre em 2017 de alma lavada.

Modo de preparo dos banhos

Encha a banheira e coloque todos os ingredientes. Tome este banho antes de preparar-se para a festa de Reveillon. Se na sua casa não tiver banheira, não se preocupe: coloque os ingredientes num recipiente com a água morna e, após finalizar seu banho de chuveiro, despeje a mistura em seu corpo (do pescoço para baixo) sem enxaguar-se depois".

Banho para atrair energias positivas

Ingredientes

100 gramas de sal grosso
1 colher de sopa de óleo vegetal de calêndula 
10 gotas de óleo essencial de lavanda 
10 gotas de óleo essencial de alecrim 
10 gotas de óleo essencial de olíbano 

"O olíbano é um óleo de proteção retirado da árvore de incenso, sendo muito utilizado na meditação. É um óleo poderoso. Já a lavanda é um calmante natural, e o Alecrim, um agente da concentração. Misturados com o olíbano, formam uma sinergia poderosa, protetora e que manda o negativismo embora”, esclarece Samia.

Banho para atrair dinheiro

Ingredientes

1 colher de sopa de óleo vegetal de oliva 
10 gotas de óleo essencial de noz-moscada 
10 gotas de óleo essencial de bergamota 
10 gotas de óleo essencial de lavanda 

A profissional explica que as especiarias, como a noz-moscada, eram utilizadas nas eras antigas como moeda. Por isso, o óleo é usado para atrair dinheiro.


Banho para atrair amor

Ingredientes

1 colher de sopa de óleo vegetal de semente de uva 
Pétalas de rosas vermelhas
Flores de Jasmin
10 gotas de óleo essencial de gerânio
10 gotas de óleo essencial de ylang-ylang 

"Todos os ingredientes desse banho remetem ao amor, à sensualidade e ao poder feminino. O óleo essencial de gerânio é o óleo da mulher, um estrogênio natural e que desperta os sentidos. O ylang-ylang é afrodisíaco e as flores trazem o elemento feminino em sua melhor forma”, indica a aromaterapeuta.

Banho para atrair paz espiritual

Ingredientes

1 colher de sopa de óleo vegetal de girassol 
10 gotas de óleo essencial de lavanda 
10 gotas de óleo essencial de palmarosa 
10 gotas de óleo essencial de sândalo amirys  
Flores de Camomila

Sâmia explica: "Os óleos utilizados são calmantes, proporcionam equilíbrio mental e paz de espírito. Podem ser usados o ano todo, sempre que se deseje aquela serenidade tão necessária para que enfrentemos o dia-a-dia".

Continue Lendo >>

Texto Rebecca Nogueira Cesar | Adaptação Ana Paula Ferreira 

Veja qual cor combina mais com o que você quer atrair no ano novo

Foto Shutterstock

Muitas pessoas apostam nas superstições para terem sorte na virada de ano. E se você é uma delas, provavelmente já começou a pensar em qual cor vai apostar para seu look do réveillon

De acordo com a coaching de imagem Mariana Ianuzzi, “as cores nunca devem chamar mais atenção do que você, e sim realçar os seus traços e transmitir a mensagem que você quer expressar”. 

Ficou curiosa para saber quais são os significados das cores? Confira abaixo!

Branco: Essa cor clássica, e tradicionalmente utilizada na passagem de ano, representa paz, calma, pureza, inocência e tranquilidade. É também muito usada por quem procura fazer uma limpeza mental e emocional, para começar o ano renovada. Cor para quem quer um ano sem confusões e desavenças. 

Rosa: Feminilidade, delicadeza, saúde e beleza. O rosa representa o romantismo e está associado à magia dos contos de fada. Cor ideal para quem quer encontrar um grande amor e a felicidade. Também proporciona equilíbrio nas relações afetivas e no trabalho, por simbolizar o afeto. O rosa salmão é a cor da harmonia e da felicidade. 

Vermelho: Tradicionalmente a cor da paixão, o vermelho é excitante, e dá um toque de sensualidade e vitalidade. É a cor de quem deseja se apaixonar e seduzir. Também dá energia, força e coragem, e representa poder e conquistas. Essa cor é estimulante e impulsiona novos projetos e ideias. O vermelho escuro é a cor da liderança.  

Amarelo: Riqueza, inteligência e criatividade. Assim como o dourado, está relacionada com o ouro. Cor de quem quer atrair fortuna e prosperidade. Transmite calor, luz e descontração. O amarelo também atrai energia e otimismo. Cores da fortuna, o dourado e o amarelo são ideais para quem quer grandes conquistas financeiras.

Azul: É a cor da alma, da serenidade e do pensamento. Atrai otimismo e prosperidade, além de harmonia entre família e amigos. O azul claro também é usado por quem quer tranqüilidade, compreensão e frescor. Já o azul escuro é a cor do romance e dos mistérios do mar. 

Lilás, Roxos e Violetas: O lilás é a cor da espiritualidade, intuição e transformação. Já os roxos e os violetas atraem a prosperidade, nobreza e respeito. O violeta representa a liberdade, e é indicada para quem quer abrir novos horizontes e ter um recomeço, ou busca momentos de autoconhecimento.

Verde: Representa juventude, frescor, calma e proteção. O verde é uma cor de quem busca saúde, esperança e muita sorte, proporcionando equilíbrio e harmonia com a natureza. Essa cor ajuda a começar o ano com muita tranquilidade.

Cinza e prata: O cinza atrai sucesso, qualidade e estabilidade. Já o prata é a cor da modernidade, do futuro, da novidade e das inovações. Também atrai proteção e maior sucesso na vida. 

Preto: É a cor do mistério e da fantasia. O preto transmite luxo e dignidade.

Tons Terrosos: Esses tons atraem conforto, consciência, estabilidade, “pés no chão”, simplicidade e responsabilidade. 

Laranja: Coragem e ousadia. Essa cor atrai muita energia e ajuda a buscar novos desafios. Ideal para quem tem como meta praticar exercícios físicos e dar uma mudada na vida. O laranja dá uma forcinha extra para quem quer se envolver em algum projeto ou situação.

 

Continue Lendo >>

Texto Fabiana Gonçalves | Adaptação Ana Paula Ferreira

Saiba como preparar suas metas para o novo ano que vai chegar!

Foto Shutterstock

Que atire a primeira pedra quem nunca fez uma lista imensa de metas para o ano novo e não passou nem perto de cumprir a metade delas. As intenções podem ser boas, mas nem sempre são viáveis e fáceis de serem alcançadas, concorda? Pensando nisso, elegemos metas totalmente possíveis para você adotar. Desta vez não tem desculpa.

Mude o visual

Aproveite o clima de novidade para consultar um especialista. “Ele vai mostrar quais cores e cortes de cabelo são os mais indicados de acordo com a imagem que você deseja passar”, explica Karina França, cabeleireira e visagista do Maison Payot (SP).

Aprenda a administrar o estresse

“Pode ser uma tarefa difícil, mas é possível gerenciá-lo. Procure controlar sentimentos como ansiedade, irritabilidade e insatisfação usufruindo de momentos de lazer com os amigos e a família”, recomenda Antonio Carlos Till, clínico geral e cardiologista do Vita Check-Up Center (RJ).

Faça mudanças na alimentação

Para Carolina Favaron, nutricionista da Clínica Nutre4 (SP), o ideal é começar com atitudes simples. “Substitua alimentos refinados por integrais, reduza o consumo de industrializados e refrigerantes e mastigue melhor”.

Valorize seu sono

Pode confiar: uma noite bem-dormida agrega saúde e beleza. Para se sentir bem em qualquer aspecto é preciso descansar bem. Esse é o momento em que o organismo recupera assuas funções e regula os hormônios.

Acabe com a preguiça

Seja ativa! Deixe as desculpas de lado e comece a praticar exercícios que você gosta. O objetivo não é se tornar uma atleta, mas manter uma atividade aeróbica regular, o que reduz o estresse, previne doenças cardiovasculares e fortalece a musculatura.

 

Continue Lendo >>

Texto Victória Bassi | Foto Larissa Felsen | Adaptação Ana Paula Ferreira 

Eles valorizam o corpo e vão da academia para o trabalho e a noite numa boa. Veja a seleção com 5 bodies para se apaixonar!

Quer conferir mais dicas de looks para treino? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Daniel Navas | Foto Christian Parente | Adaptação Ana Paula Ferreira

Lançar mão de remédios para ajudar no desempenho na academia

pode não ser uma boa ideia / Foto Chistian Parente

O treino de ontem foi pesado e hoje você mal consegue andar de tanta dor. Ou, justo hoje, dia daquela aula de bike que você ama, acordou com a cabeça explodindo. Se sua melhor saída para essas situações é sacar da bolsa um comprimido capaz de acabar com o desconforto — e seguir malhando —, você não está sozinha. 

De olho em resultados melhores na atividade física, muita gente recorre com frequência a medicamentos e suplementos que acredita serem inofensivos, mas podem trazer consequências indesejadas para a saúde e a performance. É claro que muitas dessas substâncias existem para facilitar nossa vida e, com orientação e bom senso, nos salvam do sofrimento em diversas ocasiões. Consultamos os especialistas para entender os efeitos no organismo de alguns dos suplementos e remédios mais utilizados por quem treina e esclarecer quando vale a pena tomá-los e quando podem ser uma roubada.

1. Inibidor de apetite

Quem não gostaria de uma solução mágica para abreviar o tempo e o suor na academia e acelerar o emagrecimento? Isso faz muitas mulheres recorrerem a remédios geralmente à base de anfetaminas, capazes de eliminar a sensação de fome. “A substância envia uma mensagem ao cérebro, que repassa ao corpo dizendo que está saciado”, explica Guilherme Corradi, médico do esporte e membro da Academia Americana de Medicina Esportiva. Geralmente, os moderadores de apetite trazem, além de anfetaminas, compostos químicos para reduzir a ansiedade – fluoxetina, por exemplo. “O uso indiscriminado provoca dependência química e, em doses erradas ou em combinação com outras substâncias, pode provocar ou agravar arritmias cardíacas, alucinações, ataques de pânico e agressividade e problemas respiratórios”, avisa Gisele Battistelli, profissional de educação física do Serviço de Educação Física e Terapia Ocupacional do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS). Mas e a perda de peso? Costuma ser temporária porque, quando o organismo se acostuma com os efeitos do remédio, os impulsos do emagrecimento já não funcionam mais. Com isso, a fome aumenta, o organismo passa a reter calorias e ocorre o efeito sanfona.

2. Analgésicos e anti-inflamatórios 

Tecnicamente, analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides, ou AINEs (ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, paracetamol e diclofenaco), agem do mesmo modo no organismo, embora em intensidades diferentes: bloqueando a substância envolvida no processo inflamatório e diminuindo a dor. Quando se trata de atividade física, a dor é resultado de uma inflamação natural e necessária para a reconstrução do músculo, que sofreu lesões pelo desgaste. “Se você toma um anti-inflamatório, interrompe esse ciclo e atrapalha a recuperação adequada, que é o que garante o benefício de hipertrofia muscular”, esclarece Guilherme Corradi. De acordo com estudo publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, o hábito de tomar analgésicos sempre que surge um desconforto pode levar a dor crônica e dependência. “Depois de um tempo consumindo o remédio indiscriminadamente, o efeito dele deixa de ser percebido e a pessoa tende a aumentar a dose. Isso, ainda por cima, eleva o risco de danos ao estômago, fígado e rins”, alerta o médico

3. Relaxante muscular

O tipo mais comum é dos chamados agentes antiespasmódicos, que têm ação no músculo esquelético. “Cada vez que o cérebro envia um comando para você se movimentar, uma mensagem corre pelo nervo e chega ao músculo, que se contrai”, explica Márcio Bacci. No pós-treino, é normal que ocorram espasmos musculares como resposta ao esforço, e a ação do remédio é bloquear essa transmissão do nervo ao músculo, inibindo a ação contrátil e possíveis dores. Porém, o uso constante do medicamento pode trazer riscos à saúde. “Secura na boca e sede, redução ou aumento dos batimentos cardíacos, dificuldade para urinar, visão embaçada, pupilas dilatadas, fraqueza, vômito, náuseas, tonturas, sonolência e dor de cabeça são alguns dos efeitos colaterais”, aponta Gisele Battistelli. O desempenho na academia também é prejudicado. “Na atividade física, o recrutamento das fibras musculares deve ser intenso e repetitivo. Qualquer bloqueio a essa ação interfere na contração e, com isso, no ganho de força ou volume muscular”, observa Márcio.

4. Termogênico

São aceleradores do metabolismo, substâncias que atuam no organismo elevando a temperatura corporal por meio do estímulo dos sistemas cardiovascular, respiratório e nervoso central. “Muita gente recorre a eles para conseguir melhor performance em determinada prática esportiva ou com a finalidade de emagrecimento”, afirma Eduardo Sanchez, endocrinologista do Hospital Quinta D´Or, no Rio de Janeiro. De acordo com ele, há estudos que apontam mesmo ganhos no rendimento com o uso de termogênicos à base de cafeína. “Quando a finalidade é perda de peso, as doses das substâncias precisam ser bem mais elevadas, aumentando o risco de efeitos adversos”, conclui. O consumo acima do limite (cerca de 400 mg de cafeína por dia) pode resultar em efeitos colaterais simples, como boca seca, tontura, tremor, palpitações e insônia, e outros mais graves, como arritmia, infarto e acidente vascular cerebral. Pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou outros transtornos psíquicos só podem tomar aceleradores de metabolismo com aval de um médico, já que eles atuam no sistema nervoso.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

A meditação deve ser praticada todo dia para ter benefícios

Foto Shutterstock

Quando se fala sobre a prática, logo vem à cabeça aquela posição difícil de manter, a concentração que teima em ir embora... O instrutor Alexandre Lopes, da Arte de Viver, organização dedicada a práticas de controle do estresse, ajuda a desvendar os mitos e verdades sobre meditação. Confira abaixo:

1. O certo é ficar em posição de lótus

Mito. Essa não é a única forma de se acomodar – aliás, muitos praticantes experientes preferem meditar sentados em cadeira. Isso não prejudica o resultado da meditação, e o mais importante é se sentir confortável.

2. Música e incenso ajudam a relaxar

Nem sempre. Sons e cheiros estimulam os sentidos e podem interferir na concentração, mas isso é bem individual. Experimente se funciona para você, mas opte por uma música tranquila em volume baixinho e mantenha o incenso à distância, para não sobrecarregar o ambiente.

3. Não pode pensar em nada

Mito. Aceitar que os pensamentos vão surgir e não lutar contra eles é o segredo para persistir na prática. Um bom jeito de desacelerar a mente é se concentrar na respiração, inspirando e expirando lentamente. Visualizar um ponto de luz entre os olhos ou repetir mentalmente um mantra ou frase positiva também funciona.

4. Tem que praticar todo dia

Verdade. Pense na meditação como uma atividade física, em que os benefícios aparecem com a repetição. Da mesma maneira, se você interrompe o hábito, precisa voltar um pouco para trás para recuperar o condicionamento.

Quer saber mais sobre meditação? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Descubra os mitos sobre a menstruação

Foto Shutterstock

Apesar de convivermos com ele durante grande parte de nossas vidas, o período menstrual ainda gera algumas dúvidas entre as mulheres. Por isso, consultamos o ginecologista Gilberto Nagahama, do Hospital San Paolo, em São Paulo, que esclareceu 5 mitos sobre a menstruação. Confira!

1. O sexo é melhor durante a menstruação

Não necessariamente. O período de maior desejo sexual costuma ser o da ovulação (há queda de estrógeno e pico de progesterona, deixando a libido a mil). Mas também é possível que muitas mulheres tenham essa impressão porque, teoricamente, não há risco (e receio) de engravidar.

2. Mulheres que convivem bastante menstruam ao mesmo tempo

Embora muitas mulheres relatem que isso acontece, essa sincronização não existe concretamente, já que cada organismo funciona de um jeito próprio, sem influência de quem está em volta. 

3. Transar menstruada aumenta risco de contrair dsts

Menstruada ou não, fazer sexo sem proteção sempre aumenta as chances de contrair algum tipo de doença sexualmente transmissível, já que o que determina esse risco é a exposição das mucosas das cavidades oral e vaginal.

4. É errado treinar menstruada

Pelo contrário. Praticar atividade física, mesmo em intensidade leve, ajuda aliviar o estresse e as cólicas devido à liberação de endorfinas e serotonina, substâncias associadas ao bem-estar.

5. É impossível engravidar quando estou menstruada

Na teoria, é verdade, já que menstruação é a “descamação” do endométrio, camada que é preparada para receber a gestação. Porém, como o corpo não é uma máquina exata, é sempre bom se prevenir com algum método anticoncepcional.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Existem aplicativos que ajudam a lembrar a hora correta de tomar o anticoncepcional oral

Foto Shutterstock

As brasileiras são as que mais esquecem de tomar o anticoncepcional oral, é o que aponta uma pesquisa da farmacêutica Bayer com 4.500 mulheres de nove países na Europa e nas Américas.

“As pílulas modernas têm uma carga hormonal menor, o que minimiza efeitos colaterais. Deixar de tomá-la, mesmo que só um dia, reduz a eficiência dela”, alerta a ginecologista Marta Finotti, especialista em medicina reprodutiva, de Goiás. 

Costuma acontecer com você? Tente associar as doses a algo que faz todos os dias, como escovar os dentes de manhã, ou baixe um aplicativo que sirva de lembrete (tente o Hora da Pílula). Outra saída é conversar com seu ginecologista sobre a possibilidade de trocar o método contraceptivo para um que tenha mais a ver com a sua rotina e o seu perfil.

Quer saber mais sobre métodos contraceptivos? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Veja como relaxar no dia a dia e não prejudicar a saúde do coração

Foto Shutterstock

As doenças do coração matam até seis vezes mais brasileiras do que o câncer de mama, de acordo com dados do Ministério da Saúde. O estresse físico e mental, que pega as mulheres de jeito por causa do acúmulo de funções no dia a dia, somado à alimentação errada e ao sedentarismo, contribui para o crescimento do número de infartos no país e no mundo.

“O risco aumenta ainda mais na menopausa, com a baixa dos níveis de estrogênio, hormônio protetor do sistema cardiovascular”, acrescenta o cardiologista Arthur Pagliara, da Escola Paulista de Medicina.

Dica para relaxar

Por mais que o dia esteja puxado, tente parar alguns minutos para respirar, alongar o corpo e relaxar de alguma forma. Também faça o possível para incluir exercícios e algum hobby na rotina, atitudes que aliviam a tensão e, com isso, a pressão sobre a saúde do coração.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

A nicotina presente no cigarro prejudica o relaxamento e a

chegada do estágio profundo de descanso / Foto Shutterstock

Para quem ainda não conseguiu abandonar o vício do cigarro, fica a dica: quem fuma dorme menos e pior do que quem não fuma, foi o que revelou um estudo da Universidade de Medicina de Berlim, na Alemanha. 

Os pesquisadores avaliaram as noites de sono de mais de 2 mil pessoas e chegaram à conclusão de que 17% dos fumantes dormiam menos de seis horas por noite (contra 7% dos não-fumantes) e 28% tinham sono entrecortado à noite (em comparação com 19% dos que não fumavam). 

Para os especialistas, a culpa é da nicotina, que atua no cérebro como a cafeína e o álcool, prejudicando o relaxamento e a chegada do estágio profundo de descanso. Eles descobriram outros traços comuns a quem dá suas tragadas, como sobrepeso e consumo excessivo de bebida alcoólica, que também interferem na qualidade do sono.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Texto Ana Paula Ferreira

Veja também os principais métodos para interromper o ciclo menstrual

Foto Shutterstock

 Segundo um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas, no interior de São Paulo, 32,5% das mulheres gostariam de nunca mais menstruar e 40% sonham com uma simples trégua, ficando mais de um mês sem passar pelo ciclo. 

Para isso acontecer, existem algumas possibilidades para interromper a menstruação. De acordo com Elizabeth Trezza, ginecologista e obstetra de São Paulo, os principais métodos para interromper o ciclo menstrual são anticoncepcional oral - combinado contínuo (a pílula tradicional, sem pausas), anticoncepcional oral a base de progesterona também contínuo, anticoncepcional injetável trimestral, DIU com progesterona e implante subcutâneo de progesterona. 

A seguir, a especialista listou 5 mitos e verdades sobre o bloqueio do ciclo menstrual:

1. Bloquear o ciclo aumenta chances de se ter um câncer de ovário ou de endométrio. 

Mito. Alguns estudos comprovam que a suspensão da menstruação diminui os riscos de câncer de ovário e endométrio. 

2. Ao decidir retomar o ciclo, as chances de engravidar são menores. 

Mito. Os anticoncepcionais não reduzem a fertilidade. No entanto, a fertilidade declina com a idade, especialmente após os 35 anos.

3. A menstruação pode ser prejudicial a saúde. 

Depende. Segundo a médica, para algumas mulheres a menstruação não é apenas um desconforto e pode agravar algumas doenças como anemia ou endometriose. À menstruação normal, em uma mulher saudável, não é prejudicial à saúde. No entanto, é necessário individualizar cada caso, avaliar se a mulher pode estar sendo prejudicada de alguma forma pela menstruação. 

4. O Tratamento para interromper a menstruação é hormonal. 

Verdade. Apenas através da indução hormonal é possível suprimir a menstruação. 

5. Os tratamentos hormonais garantem ausência total de sangramento. 

Mito. Nem sempre é possível obter a ausência total de sangramento. “Com qualquer um dos métodos, o corpo da mulher irá passar por um período de adaptação ao hormônio administrado. Nesse período ela pode apresentar diversos efeitos colaterais, como cefaléia, náuseas ou metrorragia, mais conhecida como spotting ou sangramento de escape. A grande maioria desses efeitos colaterais melhora após aproximadamente 3 meses do uso do método escolhido”, explica Elizabeth. 

Continue Lendo >>

Texto Ana Paula Ferreira

As massagens oferecem a sensação de relaxamento e bem-estar durante a gravidez

Foto Shutterstock

Ao mesmo tempo em que é um dos momentos mais especiais na vida das mulheres, a gravidez é um período em que o organismo passa por muitas mudanças no processo de formar a nova vida que vem por aí, trazendo algumas dores e quilinhos extras à futura mamãe.

Pensando nisso, o Espaço Kurma, de São Paulo, nos indicou três massagens que ajudam a manter o corpo saudável e em forma durante a gestação. Confira abaixo! 

Garbhini Shanti

A massagem Garbhini Shanti é realizada no chão e une os movimentos da massagem Thai e Ayurvédica, integrando alongamento, consciência respiratória além de um profundo relaxamento do corpo e da mente. 

A mãe entre em conexão profunda com o seu filho ao mesmo tempo em que relaxa o corpo, preparando-o para o parto. Utilizamos óleo de amêndoa e de coco aquecidos além de óleo essencial de lavanda que ajudam a hidratar, nutrir a pele, evitando ressecamento, estrias e manchas. A lavanda acalma e relaxa.

Drenagem linfática

O edema (inchaço) de membros inferiores faz parte das queixas mais frequentes das gestantes, seu surgimento está ligado à circulação linfática, seja diretamente pelo aumento de líquidos ou indiretamente em consequência de uma deficiência linfática especifica. 

A drenagem linfática manual está representada por um conjunto de manobras que visam drenar o excesso de liquido acumulado, nos tecidos e dentro dos vasos. Controlando a circulação linfática, diminuindo a instalação do edema. O profissional pressiona e desliza a mão por todo o corpo, direcionando o excesso de líquido para os gânglios linfáticos, que trabalham para eliminá-lo pela urina. Adota um papel tanto de prevenção, quanto de reabilitação das gestantes.

Massagem Thai

A massagem Thai, durante a gestação atua em muitos níveis, trabalhando as articulações, a musculatura, a pele e o tônus corporal de forma tranquila e adaptada a este período tão especial. Além de fortalecer o corpo e prepará-lo para o parto, a massagem Thai também relaxa e contribui para se alcançar estados meditativos e contemplativos de consciência, que estreitam os laços mãe/filho e permitem à gestante saborear uma gravidez prazerosa e saudável. 

Aplicação da massagem Thai em gestante, com movimentos específicos para cada trimestre da gravidez, é feita de forma cuidadosa e atenta para as suas necessidades especiais, harmoniza corpo e mente através de movimentos rítmicos e alongamentos gradativos que pela persistência suave, sem forçar nem gerar dor ou contração, acalmam o sistema nervoso, abrem espaço e dão expansão ao movimento das articulações, aliviando dores e tensões.

Continue Lendo >>

Por Livia Valim | Adaptação Ana Paula Ferreira

A camisinha é um dos métodos mais eficázes para

prevenir a aids / Foto Shutterstock

De acordo com dados do Ministério da Saúde apurados em novembro de 2016, estima-se que 827 mil pessoas vivam com HIV/Aids no Brasil. Desse total, a projeção é que 112 mil pessoas não sabem que possuam o vírus ou a doença.

E se essa ainda é uma doença séria e sem cura, a única saída é se prevenir. Das maneiras de prevenir a AIDS, a camisinha continua sendo a forma mais fácil e está disponível para compra nas farmácias ou mesmo de graça nos postos de saúde. O ideal seria usá-la em todas as relações sexuais, pois a única pessoa que realmente pode cuidar de você é você mesma.

“A mulher deve enfrentar as doenças sexualmente transmissíveis e o HIV como sujeito autônomo em sua relação de cuidados com a saúde. Está nas mãos dela negociar com seus parceiros sexuais as formas de prevenção”, enfatiza Fábio Mesquita, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

O preservativo feminino também está disponível gratuitamente nas unidades de saúde do SUS. Entre casais estáveis e monogâmicos é imprescindível a realização de exames periódicos para comprovar que ambos estão livres do vírus. Mesmo assim, não é totalmente seguro abrir mão do preservativo. “Basta um dia, uma relação, para que aquele exame perca a validade”, lembra David.

Além da camisinha, existem outras formas de se prevenir, que dependem principalmente da detecção da doença. Daí a importância de todos realizarem testes frequentes. Pessoas contaminadas, por exemplo, podem reduzir a praticamente zero o risco de transmissão se forem tratadas com os antirretrovirais. “Após 72 horas de contato com o vírus, também é possível receber uma medicação para que ele não se instale no organismo do receptor”, explica Vivian Iida Avelino-Silva, médica infectologista do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da USP (SP).

Continue Lendo >>