Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock 



Com propriedades relaxantes, a lavanda – também conhecida como alfazema – pode oferecer diversos benefícios à saúde, principalmente para as mulheres que costumam sofrer com os sintomas da TPM.

Para usar a flor a favor do seu bem-estar, Nathalia Carravetta, especialista em desenvolvimentos de aromas da L’eponge, listou 5 dicas que vão te ajudar a amenizar a temida tensão pré-menstrual.  

Hora de dormir bem

Por ter efeito calmante, a flor é uma aliada das mulheres que sofrem com os sintomas da TPM. A dica é pingar de 5 a 8 gotas do óleo essencial em 1 litro de água e borrifar pelo quarto antes de dormir. Ele vai ajudar a te acalmar e ter uma boa noite de sono. Outra opção é colocar flores secas de lavanda dentro da fronha do travesseiro para acalmar os ânimos. 

Dor de cabeça não mais

Para quem sofre com dores de cabeça, principalmente nesse período, a dica é massagear as têmporas com uma gotinha do óleo essencial. 

Tchau inchaço

O inchaço também acompanha a maioria das mulheres nesta época do mês. Para diminuir os sintomas nos pés e pernas, a dica é fazer um escalda pés com o olho essencial da flor. Deixe os pés de molho por 15 minutos antes de dormir em um recipiente com água, 10 gotas de óleo de lavanda e uma colher de sopa de sal grosso. Você também pode massagear algumas gotas do óleo nos pés antes de deitar, ela ajuda a acalmar os pés cansados e hidratar a região. 

Efeito Rapunzel 

O óleo essencial da flor é eficaz no tratamento de queda de cabelos emocional. Isso acontece porque a planta tem benefícios que ajudam na cura da insônia, depressão, estresse e ansiedade, causas da perda dos fios. A dica adicionar algumas gotas no seu xampu ou condicionador. 

Para acalmar os ânimos durante o dia

A lavanda tem um aroma único bastante requisitado no mercado de beleza. Para acalmar os seus ânimos e de quem está ao seu redor, aposte em um perfume ou creme com essa essência. Aplique nos pulsos, atrás das orelhas, nuca e dobras, regiões que têm maior circulação sanguínea e ajudam a fixar a fragrância. 

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira



Até pouco tempo atrás, quem queria mostrar menos a gengiva ao sorrir só tinha uma opção: cirurgia. Agora, os dentistas estão usando também a toxina botulínica para amenizar o sorriso gengival.

“Ela é aplicada no músculo que levanta o lábio. Ele perde a força de contração e não levanta tanto ao sorrir”, explica Osmir Batista de Oliveira Júnior, dentista e professor da Faculdade de Odontologia na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), de Araraquara (SP). O efeito dura de três a seis meses.

Quer conferir mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira 



O número assusta: segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 40% dos brasileiros sofrem com a insônia.  “Muitos procuram medicamentos para dormir, mas eles podem trazer efeitos colaterais desagradáveis, como boca seca, dor de cabeça, amnésia e distração”, comenta Joseth Gimenez, farmacêutica do Grupo Pholias, empresa que fornece insumos para farmácias de manipulação. 

É justamente para combater esses efeitos colaterais que algumas pessoas apostam em medicamentos derivados de frutas ou plantas. Um deles, o ProSleep, que pode ser manipulado em farmácias, é um blend de frutas vermelhas. “Ele limpa e desinflama os espaços entre as células do cérebro, promovendo um sono reparador”, diz Joseth Gimenez. 

Além das frutas vermelhas, outros ingredientes naturais também têm efeitos comprovados no combate à insônia. “É o caso da valeriana, cuja raiz reduz os efeitos da ansiedade e da insônia, e também do caule e das folhas da erva-cidreira, que tem boa atuação sobre as alterações indesejadas do sono”, afirma Luis Marques, farmacêutico especialista em Fitoterapia, de São Paulo (SP).

Quer conferir mais dicas para dormir bem? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Rita Santander | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira 

A reflexologia restaura o bem-estar do organismo, produz relaxamento e ainda contribui para o tratamento de doenças. “Para a reflexologia, o pé é dividido em três partes”, explica Gilson Tsuyoshi Fuji, massoterapeuta, de São Paulo (SP).

Dedos – contêm pontos reflexos dos órgãos e membros do tórax para cima, como olhos, ouvidos, têmporas, cérebro e pescoço.

Meio do pé – os pontos dessa região se refletirão no meio do corpo. A maior parte dos órgãos internos está representada nessa área do pé — rim, pulmão, pâncreas, baço, intestino e coração, para citar alguns.

Calcanhar – tem pontos que se refletem nos membros inferiores e no nervo ciático, que passa por quase todo o corpo.

Conheça abaixo como trabalhar cada problema com a técnica:

Relaxamento: precisa relaxar? Puxar todos os dedos, fazendo uma pequena torção, trará esse benefício. Lembre-se de dedicar de 10 a 15 minutos para cada pé, e não é preciso estalar os dedos.

Lombar: muitas horas de caminhada ou até a má ergonomia no ambiente de trabalho podem causar dores lombares. Para aliviar esse incômodo, a lateral do pé, do dedão até o calcanhar, deve ser pressionada.

Nervo ciático: a dor provocada pela inflamação do nervo ciático pode ocorrer por múltiplos fatores: problemas musculares, problemas vicerais, má postura, sapatos com saltos muito altos,  sedentarismo ou excesso de atividades físicas.

Fígado: o ponto referente a este órgão está localizado no meio do pé direito.  A pressão nessa região ajuda a aliviar o desconforto causado pelo álcool e eliminar essa substância do organismo.

Pescoço e cervical: nos dias de hoje, devido ao uso contínuo de celular, a região dos ombros acaba sofrendo as consequências. Para aliviar a tensão dessa área, pressione a lateral externa do pé, do dedo mínimo até o calcanhar e a base do dedão. Essa massagem trabalhará os pontos reflexos do pescoço, da coluna cervical, dos ombros e cotovelos.

Quer saber mais sobre a técnica da reflexologia? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Rita Santander | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira



Todos os órgãos, glândulas e estruturas ósseas do corpo estão representados em pontos específicos dos pés. Baseada nessa premissa, a reflexologia podal utiliza as mais de 70 mil terminações nervosas presentes nesses membros para conduzir estímulos que beneficiarão todo o corpo humano, levando a uma melhora da qualidade de vida, saúde e atuando como terapia complementar no tratamento de doenças

Quando um ponto do pé chamado de zona reflexa é tocado pela pressão exercida pelos dedos das mãos, é gerada uma espécie de descarga elétrica no cérebro, que manda a mensagem para o órgão equivalente e alivia a tensão acumulada nos pés, assim estimula a circulação energética e sanguínea, levando uma sensação de alívio ao organismo. E não é só. Ainda melhora o funcionamento dos órgãos devido à estimulação da circulação sanguínea e linfática, favorecendo a absorção de nutrientes e facilitando a eliminação de toxinas, levando, dessa maneira, ao restabelecimento do equilíbrio do organismo. 

Em uma sequência completa de reflexologia podal, são estimulados todos os pontos para promover o relaxamento e aliviar a tensão do corpo. “Se a paciente relata alguma queixa, concentramos mais a massagem na zona reflexa que ajudará a tratar aquele problema. Em alguns casos, ela não percebe, mas conseguimos sentir o acúmulo de energia em determinadas áreas, e com isso é possível direcionar o tratamento”,  explica Gilson Tsuyoshi Fuji, massoterapeuta, de São Paulo (SP).

Para cada caso, um ponto

No Guia Completo da Reflexologia (Ed. Pensamento), a autora Ann Gillanders afirma que os resultados mais impressionantes dessa terapia são o alívio de problemas comuns, como dores e incômodos pontuais, mas muitas vezes sem gravidade, que médicos e outros profissionais de saúde gastam tempo demais para tratar. 

Na adolescência, quando a menstruação e os distúrbios de pele costumam ser um problema, sessões regulares de reflexologia podem aliviar as dores do período menstrual, regular o ciclo e equilibrar a carga hormonal que tanto afeta os cabelos e a epiderme. A reflexologia também é altamente recomendada para promover relaxamento mental durante as épocas de exames escolares.  

Tratamentos regulares de reflexologia no pós-operatório podem ser de grande valia, ajudando o corpo a se recuperar mais rapidamente, já que toda intervenção cirúrgica provoca um choque no corpo, e os anestésicos enfraquecem o sistema imunológico.

Atenção: não é para todos

Ann Gillanders relata ainda no livro que, se as pessoas recorressem à reflexologia ao notarem os primeiros sintomas, muitas doenças jamais se agravariam. Contudo, em alguns casos, o uso dessa terapia complementar não é recomendado.  É o caso de grávidas nas primeiras 14 semanas de gestação. “Enquanto o bebê está em formação, o feto exige muito sangue da mãe, e como a reflexologia interfere na circulação sanguínea e energética, isso pode afetar a produção de sangue para o bebê”, enfatiza Gilson Fuji.

Pela mesma razão, pacientes diagnosticadas com câncer ou trombose não devem ser submetidas a sessões de reflexologia, pois o estímulo pode fazer as células cancerígenas se reproduzirem ou ainda deslocar os coágulos sanguíneos,  acometendo outras partes do corpo. Pessoas em fases agudas de doenças infecciosas também não devem ser tratadas com a terapia.

Já as pacientes com grau avançado de diabetes podem ter a sensibilidade na planta do pé comprometida e não perceber os estímulos.  “Por isso, a técnica, nesse caso, é feita somente com o intuito de relaxamento, sem estimular pontos específicos”, acrescenta Gilson Fuji.

O terapeuta que aplica o tratamento não tem o poder de diagnosticar doenças. O massoterapeuta explica que sua função, nesse caso, é indicar à paciente que busque um médico. “Quando ouvimos reclamação de dor ao estimularmos determinado ponto, sabemos a qual área reflexa ela se refere, e por isso temos como orientar a busca pelo especialista, mas não dizer que determinado órgão tem um problema”, completa.

Quer conferir mais sobre reflexologia? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Maria Helena da Fonte | Fotos Danilo Tanaka | Adaptação Web Ana Paula Ferreira

Os cosméticos e maquiagens “verdes” estão em alta. Além do apelo cruelty-free não contêm nenhum derivado de origem animal, são livres de componentes químicos, por isso menos alergênicos e nada cancerígenos. Confira!

Quer conferir mais dicas de produtos veganos? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira



Já ouviu falar em microfisioterapia? A técnica leva esse nome porque é realizada por meio de mínimos toques, pequenos movimentos em regiões específicas do corpo, feitos por um terapeuta capacitado, e pode melhorar os sintomas de doenças como fibromialgia, enxaqueca e ansiedade, além de traumas físicos, como quedas e acidentes, e dores crônicas que não respondem bem a tratamentos tradicionais. 

Criado na França em 1984 e trazido para o Brasil há cerca de dez anos, o método requer uma avaliação do sistema musculoesquelético, nervoso, pele, além de mucosas e vísceras. “O objetivo é sentir o ritmo vital dos órgãos e tecidos. Nós reproduzimos esses ritmos e esperamos que o corpo responda ao estímulo. Caso isso não aconteça, percebemos que há um bloqueio nesse processo, com perda de vitalidade e desequilíbrios que possam ter desencadeado uma determinada doença. Além disso, a microfisioterapia também estimula o corpo para que se autorregule”, explica Fabio Akiyama, fisioterapeuta da clínica Mind Touch, de São Paulo (SP), que indica apenas 2 ou 3 sessões para se ver resultados.

Quer conferir mais dicas de cuidados de saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Fotos Divulgação

O universo feminino não para de inovar e receber novidades! Por isso, todo mês, a CORPO vai te mostrar os produtos que já chegaram ou devem chegar em breve às prateleiras. Confira abaixo os lançamentos do mês de JULHO!

Continue Lendo >>

Por Isabela Leal | Foto Danilo Borges/Escala Imagens | Adaptação Web Ana Paula Ferreira



Para ter seios num tamanho ideal, com um formato perfeito e superfemininos, não basta se encher de coragem, fazer o implante de próteses de silicone e pronto!  Esquecer a vida... O procedimento – apesar de estar cada vez mais banalizado como algo sem importância, corriqueiro – requer, sim, acompanhamento, avaliação médica e observação constante por parte da mulher para perceber se fisicamente há algo fora do normal. Para manter o controle da situação, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)  indica que as pacientes façam avaliação a cada sete anos com seu cirurgião plástico, embora a maioria dos fabricantes ofereça uma garantia de dez anos para as próteses. Mas uma coisa é certa: não dá para ignorar os detalhes e cuidados necessários para se manter o implante mamário em dia e sem riscos. Veja a seguir aspectos importantes dessa escolha.

Prazo para a troca

A maioria dos fabricantes dá uma garantia de dez anos, mas isso não significa que após esse tempo as próteses devam ser trocadas. Suzy Vieira conta que o que mudou ao longo dos anos e com o avanço da tecnologia, é que o prazo para troca não é predeterminado, já que não existe uma data de validade. “Hoje, a durabilidade média das próteses de última geração é de mais de 15 anos. Algumas marcas fornecem a garantia vitalícia, isto é, no momento em que houver a necessidade da prótese ser substituída, o fabricante fornece um novo par sem custo”, diz a médica. Ana Paula Garcia, 36 anos, assistente social, de Jundiaí (SP), conta que as suas estão em perfeito estado. “Tenho próteses há mais de 16 anos e nunca senti nada diferente ou necessidade de trocar”, relata.

Questão polêmica

Antes de qualquer coisa, vale esclarecer se as próteses têm ou não data de validade. O tema divide a opinião dos especialistas. Segundo Suzy Vieira, cirurgiã plástica, de São Paulo (SP), atualmente ainda não há no mercado mundial uma prótese mamária que seja definitiva, todas precisarão, em algum momento, ser trocadas, ainda que seja em longo prazo. Para Luiz Victor Carneiro Jr, cirurgião plástico, do Rio de Janeiro (RJ), que atuou 14 anos na clínica do mestre Ivo Pitanguy, se a mulher estiver feliz e não houver nenhum tipo de complicação, a prótese não necessita de troca. “Normalmente, próteses de boa qualidade não precisam ser substituídas”, diz ele.  André Eyler, cirurgião plástico, do Rio de Janeiro (RJ), compartilha da mesma opinião: “Existem pacientes com 30 anos de implante sem problemas com as próteses e satisfeitas com o resultado”.

Motivos que levam à substituição

Um deles acabou de acontecer com a apresentadora Xuxa Meneghel, que no final de 2016 se submeteu a uma cirurgia para trocar as suas. O problema dela foi contratura capsular (naturalmente o organismo cria uma cápsula que envolve a prótese, com o objetivo de protegê-la, mas com o tempo essa cápsula começa a se retrair), que, ao longo dos anos, pode levar a uma deformação do formato da prótese e, por consequência, da mama. “Ela contratura é progressiva, mas em graus severos gera deformidades como endurecimento das mamas, alterações da sua forma, assimetria entre os lados e dor”, descreve Suzy Vieira. “Outra causa que tem indicação para a troca é a ruptura da prótese (embora seja menos comum com as mais modernas),  que pode levar a alterações na forma dos seios, diminuição do seu volume e até ao vazamento do gel se não for preenchida por tipo coesivo”, diz a médica. Luiz Carneiro destaca que se a prótese está comprometida e não for trocada, pode haver rupturas que levam ao vazamento do conteúdo, causando inflamações nos tecidos vizinhos. “Nesses casos, pode ser necessário fazer uma raspagem para a retirada desse tecido. Quando não tratada devidamente, essa infecção pode se espalhar e causar danos ainda maiores”, alerta o médico.

Pós-operatório da troca

A dor é bem menor, visto que a adaptação e a pressão causadas pelo novo volume já foram feitas no primeiro implante. Os cuidados após a cirurgia são os mesmos recomendados na operação "de estreia”: não movimentar os braços ou elevá-los acima dos ombros, assim como não carregar peso, por 30 dias; dormir de barriga para cima no mínimo por duas semanas; usar sutiã compressor de um a dois meses. Praticar atividade física (que não solicite os membros superiores) e tomar sol, só depois de 30 dias. Dirigir é possível após uma ou duas semanas, vai depender da recuperação.

Não acabou por aqui, não! Se você quer saber mais sobre a substituição da prótese de silicone, basta garantir a edição 341 da Corpo a Corpo! Então corra para a banca ou adquira a sua CORPO aqui → https://goo.gl/MVGcGL

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock



Quem não gostaria de sempre exibir um sorriso bem branquinho? Para isso, muitas pessoas optam por fazer clareamento dental.  No entanto, de acordo com Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e odontologia estética, de Minas Gerais, é importante esclarecer todas as dúvidas sobre o procedimento antes de tomar qualquer providência. 

Abaixo, o profissional listou as principais perguntas sobre a técnica. Confira!

1. Quem pode fazer o clareamento dental?

Normalmente, qualquer pessoa pode fazer clareamento dental. Todavia, há restrições para pessoas que têm tártaro, placas ou problemas gengivais. O ideal é primeiro tratar estes problemas para então, realizar o clareamento. Gestantes e lactantes também devem esperar o período, pois não há dados que comprovem a segurança do procedimento em grávidas. No caso de pessoas com amplas restaurações ou próteses, a colocação de facetas – famosas lentes de contato para os dentes – pode ser mais eficiente, pois o clareamento abrange somente os dentes, não o material restaurador utilizado. 

2. Qual tipo de clareamento é mais eficaz? O do consultório ou o caseiro?

Os dois tratamentos garantem resultados satisfatórios. O clareamento de consultório produz resultados instantâneos através de géis de alta concentração aliados ao laser. O caseiro é mais lento e gradual. Mas é importante salientar que ambos devem contar com a ajuda de um profissional. 

3. Como fica a alimentação após o clareamento?

Principalmente durante o tratamento clareador e até 15 dias após, deve-se evitar o consumo de alimentos de forte coloração como café, açaí, vinho tinto, beterraba, chocolate ou outras bebidas e alimentos com adição de corantes. Para manter o efeito por mais tempo, o ideal é não consumir nenhum destes itens em excesso. Cigarro é um dos maiores vilões dos dentes brancos. 

4. O clareamento causa sensibilidade nos dentes?

Geralmente o processo pode até causar um aumento da sensibilidade dos dentes ao frio. Entretanto, com a alta tecnologia, os produtos utilizados atualmente possuem agentes que diminuem esta sensibilidade. 

5. Quanto tempo dura um clareamento?

Tudo isto depende dos hábitos do paciente em relação à alimentação e ao consumo de cigarro. Mas em geral, dura um ano. Já as facetas ou lentes de contato de porcelana não alteram a cor.

6. Cremes dentais e enxaguantes bucais com ação clareadora tem o mesmo efeito?

Definitivamente não. Estes produtos podem ajudar em manchas externas, mas não penetram os poros dos dentes promovendo o real clareamento. Inclusive, eles não devem ser utilizados constantemente, pois são muito abrasivos e danificam o esmalte do dente. 

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira



Parceira diária das mulheres, a calcinha merece cuidados especiais. “Problemas crônicos como alergias de contato, que também provocam coceiras, dor na relação sexual e aquele corrimento branco aumentado podem ser todos causados pela higienização errada dessa peça”, avisa Mariana Maldonado, ginecologista e terapeuta sexual, do Rio de Janeiro (RJ), que a seguir dá dicas simples e muito úteis para cuidar sempre com carinho da lingerie.

1. Jamais lave na máquina. O sabão em pó e o amaciante possuem substâncias químicas, que podem causar alergia e candidíase. Esfregue-as delicadamente com a mão, sabão neutro e água fria. Coloque-as para secar em um lugar arejado (nunca no banheiro).

2. A peça que acabou de chegar da loja deve sempre ser lavada antes do primeiro uso.

3. Reserve peças menores, mais apertadas ou do tipo fio dental, para ocasiões especiais. No dia a dia, prefira as maiores, com tecidos confortáveis.

4. Furou, rasgou, perdeu o elástico?  É hora de jogar fora, já que ela não vai cumprir sua função de proteger contra sujeiras e contato com o exterior.

5. Durma sem calcinha. Isso mesmo: aproveite as horas de sono para deixar essa área íntima arejada, sem nada que a abafe.  Se não conseguir, um pijaminha leve de algodão basta como proteção.

Quer saber mais sobre saúde da mulher? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira



Enxergar as coisas de maneira positiva, mesmo enfrentando dificuldades, pode ser a chave para uma vida mais longa. É o que concluiu um estudo feito com 70 mil mulheres, de 58 a 83 anos, e publicado no American Journal of Epidemiology, dos Estados Unidos. 

Os pesquisadores descobriram que aquelas que se consideravam otimistas tinham menos chances de morrer de câncer, doenças do coração, problemas de pulmão, derrame ou infecções. O estudo durou oito anos e levou em consideração outros fatores, como situação econômica, diabetes, pressão alta e depressão. 

O otimismo é uma característica da personalidade de cada um e nada mais é do que a crença de que as coisas terminarão bem, mesmo diante de problemas. Aline Gomes, psicóloga do Rio de Janeiro (RJ), concorda com o estudo. “Ser otimista não significa ser leviano com os fatos reais. Podemos dizer que é ver as oportunidades dentro de uma realidade que nem sempre é aquela que sonhamos. É por isso que essa pessoa não apenas pode ter melhor saúde, mas também melhor qualidade de vida, melhores ocupações... Vale para tudo.”

Quer saber mais sobre dietas? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui

Continue Lendo >>

Por Isabela Leal | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira

Os benefícios do contato com a natureza duraram até sete dias no organismo

das pessoas estudadas / Foto Shutterstock

Sabe aquela sensação boa de que os problemas parecem menores e de que a vida é, sim, leve, quando estamos em contato direto com a natureza e seu silêncio? Então, é a mais pura verdade. E comprovado cientificamente por pesquisadores da Universidade de Chiba, no Japão — país onde o hábito é um dos pilares da medicina preventiva, como forma de frear ou inibir o desenvolvimento de doenças e outros males. “O ar realmente puro, rico em oxigênio, é imediatamente perceptível para quem o inspira, e gera uma sensação de bem-estar e relaxamento. O contato direto com a natureza, seu frescor e cheiros próprios das plantas, flores e madeiras permite a desaceleração do estresse causado pela ansiedade, típica da vida moderna”, justifica Dieter Brepohl, estudioso de teologia e CEO do Centro de Medicina Integrativa e Bem-Estar do SPA Lapinha, em Lapa (PR). 

Imunidade lá em cima

“Estudos recentes mostram um aumento considerável de células do sistema imunológico de quem convive com a natureza”, conta Karlla Patrícia Silva, doutora em biologia, de Clermont-Ferrand (França). Ela diz ainda que cientistas japoneses comprovaram que uma caminhada de duas horas em ambiente de floresta aumenta a síntese de proteínas anticâncer, sugerindo seu efeito preventivo sobre diversos tipos de cânceres, além da importante diminuição dos níveis de cortisol, o hormônio do estresse. “Os benefícios duraram até sete dias no organismo das pessoas estudadas. Isso significa que uma caminhada na mata pode nos deixar revigorados por uma semana”, destaca a bióloga.

Nos centros urbanos 

Dieter Brepohl cita uma publicação, de 2017, do International Journal of Environment and Public Health (“Revista Internacional de Meio Ambiente e Saúde Pública”), que deixa claro a associação de alguns benefícios para a saúde com a exposição à natureza, para quem vive em ambientes urbanos. “O artigo sugere que usufruir desse contato algumas vezes por semana, ainda que seja por curto período de tempo, produz uma resposta de diminuição do nível de depressão”, diz o terapeuta. Para quem está na cidade, vale uma caminhada por trilhas (não muito distantes), um momento relax em praças com muitas árvores, um período de silêncio em um jardim cheio de plantas e flores, um passeio por áreas rurais, com bastante mata, e por aí vai. 

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira

Além de supostamente aumentar o desejo sexual, o

procedimento melhora a incontinência urinária

Foto Shutterstock

Acredite, o Brasil é o recordista mundial em um procedimento estético conhecido como rejuvenescimento vaginal, segundo relatório de 2016 da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps). Isso mesmo: lasers e outras tecnologias estão sendo usadas para estimular o colágeno da região da vagina e, assim, deixá-la mais firme. 

Uma das responsáveis pelo sucesso do tratamento é a empresária e socialite americana Khloé Kardashian. Em seu programa de TV, Kocktails With Khloé, (que foi ao ar apenas por três meses, no início de 2016), ela revelou que duas de suas irmãs – Kim e Kourtney – já haviam se submetido ao procedimento. 

Trata-se de um aparelho de radiofrequência, que funciona com correntes elétricas para aquecer a área tratada para esse fim. “Há uma ponteira específica para isso. Ela é descartável e lembra um espéculo de exame ginecológico. Com ela, estimula-se a pele do canal vaginal a produzir colágeno, deixando-o mais firme, estreito”, explica Mônica Aribi, dermatologista de São Paulo (SP). 

Além de supostamente aumentar a satisfação sexual, o procedimento ainda melhora a incontinência urinária, uma reclamação comum em quem fez parto normal. São indicadas duas sessões, com intervalos de 15 dias entre elas. O tratamento é indolor e não requer anestesia.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Jorge Olavo | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira

O diagnóstico da enxaqueca pode levar pode levar meses

ou até anos / Foto Shutterstock

“Parece que a minha cabeça vai explodir. A dor é tão incômoda que preciso parar o que estou fazendo. A claridade e o barulho intensificam ainda mais o meu desconforto.” Você se identifica com essa situação? Além disso, sente enjoo e tem alteração na visão? Esse é o quadro clássico da enxaqueca, doença neurológica que costuma incomodar 15 a cada 100 brasileiros de forma recorrente. Ou seja: ela vem, passa e de repente está de volta. A enxaqueca é um dos tipos mais comuns de dor de cabeça primária, ou seja, ela não é motivada por outra doença. 

O principal indício é de que ela seja causada por fatores genéticos, entretanto, sua manifestação não segue um padrão, podendo ser desencadeada por diversos motivos em cada paciente. “As pessoas acham que o que desencadeia a dor para um vai ser igual para as outras, mas não é assim que acon¬tece”, alerta Ana Maria Ladeira Ya¬mada, neurologista e membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia, do Rio de Janeiro (RJ). 

Fatores desencadeantes 

Entre as causas desencadeantes normalmente associadas à enxaqueca estão o estresse, determinados hábitos alimentares e aspectos hormo¬nais. Assim, algumas pessoas podem perceber que as crises começam após a ingestão de vinho tinto, laticínios ou frutas cítricas; outras podem associar a doença a fatores emocionais, como irritabilidade ou ansiedade. 

Um terceiro grupo pode ainda constatar que a dor de cabeça tem início após um longo período de exposição ao sol ou vem em decorrência das alterações hormonais do ciclo menstrual. Não existe regra. A enxaqueca afeta pessoas de todas as idades e classes sociais, mas há maior incidência entre mulheres e costuma começar na juventude. É uma doença que, se não controlada, afeta a qualidade de vida da paciente. 

Identificação difícil 

Contudo, ter o diagnóstico da doença não é algo tão simples como parece e pode levar meses ou até anos para se chegar a uma conclusão. Ana Maria explica que, para isso, é preciso avaliar o histórico da paciente e acompanhála por um tempo. Exames podem ser solicitados ao longo do monitoramento para excluir a possibilidade de ou¬tras enfermidades.

“É importante haver uma boa relação entre médico e paciente já que requer tempo para acompanhar a evolução da doença, fazer o diagnóstico e encontrar o tratamento mais adequado para cada pessoa”, afirma Ana Maria. O profissional mais indicado para acompanhar a evolução da doença e apontar o tratamento mais adequado a cada paciente é o médico neurologista. 

Tratamentos específicos 

Basicamente, existem dois tipos de tratamento para a enxaqueca: a prevenção para evitar novas crises e o uso de analgésico para controlar a dor. Em raras situações, também pode ser indicado procedimento cirúrgico. Segundo Eduardo Barreto, neurocirurgião, do Rio de Janeiro (RJ), o tratamento preventivo busca neutralizar os fatores que desencadeiam a doença. “Se verificarmos que algum alimento tem relação direta com a enxaqueca, indicamos uma dieta balanceada. A atividade física também é altamente recomendada para trazer melhorias ao organismo”, afirma o especialista. Outras atividades e terapias também podem ser benéficas para quem sofre com enxaqueca. Entre elas estão a meditação, a ioga, a acu¬puntura e sessões de radiofrequência. Nesse caso, são medidas que auxiliam no controle do estresse. 

Tipos 

Há duas versões de enxaqueca: a clássica e a comum. A classificação é feita diante da presença ou não de aura – fenômeno que provo¬ca alteração visual da paciente na crise. O tipo clássico vem acompanhado de aura, e é o menos comum. Durante a crise, o indivíduo tem a visão prejudicada por espectros em forma de estrelas, raios ou riscos. 

Diário amigo 

Registrar em um diário alguns dados sobre a dor que está sentindo pode ser útil para diagnosticar a enxaqueca e identificar o que pode desencadear a doença. Os dados descritos no relatório podem variar de acordo com as orientações de cada médico, mas a paciente irá anotar o dia e o horário em que a dor de ca¬beça começou, a intensidade da dor (em uma escala de 1 a 3; de leve a incapacitante), se houve náusea ou vômito, os sintomas e os possíveis fatores desencadeantes da doença.

A partir dessas informações será possível verificar a intensidade e a frequência das crises, indicando o caminho de tratamento a ser adotado. “É importante a pessoa assumir uma postura ativa em relação à doença, anotando essas informações em diário”, afirma Eduardo Barreto.

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock

A baunilha ajuda a pele a se manter jovem por mais tempo

Foto Shutterstock

Cada essência é capaz de estimular sensações diferentes para os nossos sentidos, como efeitos calmantes e terapêuticos

De acordo com Nathalia Carravetta, especialista em desenvolvimento de aromas da marca L’eponge, a baunilha possui um aroma que promove diversos benefícios para o corpo e a saúde. Confira abaixo os 5 listados pela profissional:

1. Acalma a ansiedade e o estresse

O aroma de baunilha é conhecido por ter um impacto direto no cérebro e induzir a calma, portanto, seu extrato pode ser um dos melhores e mais acessíveis remédios naturais para ansiedade e estresse crônico.

2. Estimula a serotonina

A flor é um estimulante capaz de ajudar a estimular a serotonina, hormônio responsável pelos bons pensamentos e a sensação de felicidade e bem-estar.

3. Hidratação profunda

A principal substância fornecida pelas pétalas da flor é a mucilagem, uma secreção com alta capacidade de reter água e bem aceita na formulação de hidratantes. A pele tende a ficar super hidratada. 

4. Tem propriedade antioxidante

A baunilha tem grandes poderes antioxidantes que ajudam a pele a se manter jovem por mais tempo, atuando na proteção dos danos causados por poluentes e toxinas. 

5. É afrodisíaca

A flor tem sido usada como um afrodisíaco desde os tempos mais antigos. Certos estudos sobre a aromaterapia provaram que a baunilha pode aumentar o desejo sexual, elevando os níveis de testosterona nos homens. O seu uso é eficaz na cura da impotência. Além disso, o aroma induz aos sentimentos de prazer e saciedade.

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock

Os pacotes oferecem massagens e outros mimos para

curtir a dois com seu amor / Foto Shutterstock

Dentre as inúmeras opções de passeios e comemorações para o Dia dos Namorados, o Day Spa tem ganhado um destaque especial entre os casais

Com pacotes que vão de massagens relaxantes a ofurô e brinde com champagne, confira a seguir o guia que preparamos para vocês, com tratamentos para todos os gostos!

W Spa (Rio de Janeiro) - Para aqueles que querem relaxar a dois, os rituais mais procurados são o Ritual Love Duet (massagem com óleo de pimenta, seguida de banho de imersão e degustação de espumante e doces) e o Ritual Love’s Blessing (massagem com pedras quentes e mimo surpresa para o casal), a partir de R$570. 

One Spa (Porto Alegre) - O spa oferece um day spa relax com duração de duas horas que envolve massagem, banho aromatizado com óleos essenciais e esfoliação corporal, a partir de R$520. 

Nuwa Spa (Brasília) -  O Nuwa Spa tem dois pacotes especiais para os casais. O Pacote Simples inclui escalda-pés, massagem sensorial, massagem capilar ou reflexologia e custa a partir de R$676. Já o pacote Intermediário inclui drink ou suco detox, esfoliação, banho de imersão, hidratação e massagem sensorial, a partir de R$812.

Aigai Spa (São Paulo) – O espaço aposta na massagem Abhyanga para casais. A terapia combina a riqueza do óleo vegetal aquecido com movimentos fluidos que reequilibram corpo e mente. Outra sugestão é a Balinesa, tradicional na Indonésia, que combina movimentos precisos e profundos. A massagem ativa e equilibra os pontos de energia do corpo com movimentos suaves e relaxantes. A partir de R$920 por 50 minutos.

Espaço Kurma (São Paulo) - O spa oferece duas opções para casais. O Day Spa Corpo e Alma inclui um longo ritual de três horas e meia, que combina a esfoliação com sais do Himalaia e hidratação, massagem integrativa, drenagem facial e é finalizado com o reiki, ao valor de R$576. Já a Massagem Ayurvédica com reflexologia estimula os músculos e a circulação, liberando as toxinas do organismo por meio de movimentos de alongamento e deslizamento com toques profundos, combinada com a reflexologia - massagem dos pés aos joelhos, atingindo pontos que permitem trabalhar os órgãos internos, durante 2h, por R$293,00.

Kabanah Spa (São Paulo) – Os casais podem escolher entre quatro opções: Spa do Casal Zen, que inclui ritual de boas vindas e massagem zen de 1h por R$280; Spa do Casal Rubi, com ritual de boas vindas, massagem relaxante do casal por 50 minutos e fondue com 2 taças de vinho, com duração total de 2h por R$350; Ritual de Massagem do Casal, que oferece ritual de boas vindas e ritual de massagem do casal decorado com pétalas de rosas, com duração de 1h30 por R$411,95; e o Spa do Casal Penedo, com ritual de massagem do casal decorado com pétalas de rosas, ofurô do casal com pétalas de rosas e degustação de refeição, tudo por 2h30 a R$695,50.

Spa Provence (São Paulo) –  O local oferece um pacote para casais por R$720, com massagem com pedras quentes, candle massage, dois spa dos pés com reflexologia, revitalização facial, Shirodhara, duas duchas e um combinado duplo de champagne, chocolate suíço, queijo Brie, frutas secas e uvas.

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Fotos Divulgação

O universo feminino não para de inovar e receber novidades! Por isso, todo mês, a CORPO vai te mostrar os produtos que já chegaram ou devem chegar em breve às prateleiras. Confira abaixo os lançamentos do mês de junho!

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock

O pompoarismo previne, recupera e melhora problemas de

incontinência urinária / Foto Shutterstock

A ginástica íntima, mais conhecida como pompoarismo, é uma prática que pode ser muito benéfica para a saúde da mulher. Contudo, ainda existem algumas dúvidas e mitos que precisam ser esclarecidos. 

“A mulher que pratica pompoarismo encontra muitas vantagens, mas para isso é preciso se livrar de alguns pré-conceitos”, explica Cátia Damasceno, fisioterapeuta especializada em uroginecologia e criadora do canal Mulheres Bem Resolvidas. 

Abaixo, a profissional destacou 4 mitos sobre o pompoarismo. Confira!

1. Só serve para dar mais prazer ao parceiro

Embora a ideia de proporcionar mais prazer ao marido ou namorado seja o objetivo de algumas mulheres que buscam praticar a ginástica íntima, Cátia explica que o pompoarismo também auxilia no prazer sexual feminino. “No relacionamento, aumentar o próprio prazer sexual é tão ou mais importante que o do parceiro”, conta a especialista, que já recebeu relatos de suas alunas sobre terem o primeiro orgasmo, e até orgasmos múltiplos, após começar a praticar. “Como o exercício fortalece os músculos vaginais, ele promove maior lubrificação na hora do sexo, e aumenta a libido”, destaca.

2. Só está relacionado à vida sexual

Cátia conta que o pompoarismo também ajuda, com pouco tempo de prática, a dar mais segurança para as mulheres no sexo. “Ele também previne, recupera e melhora problemas de incontinência urinária, ajuda a reduzir o período de menstruação, e ainda reduz as cólicas menstruais, já que aumenta a irrigação sanguínea do canal vaginal”, ensina a especialista, provando que os mitos do pompoarismo precisam ser derrubados para que mais mulheres consigam melhorar a qualidade de vida.

3. Exige que seja utilizado o colar tailandês

Outra imagem que muitas pessoas associam ao pompoarismo é ligada ao colar tailandês, um item comum de ser encontrado em sex shops. Cátia explica que uma mulher não precisa, necessariamente, utilizar algum produto para praticar a ginástica íntima, especialmente se o objetivo for apenas voltado à saúde. “Eu nem recomendo o colar tailandês, pois ele pode ser muito difícil e desconfortável”, destaca. A especialista sugere um acessório chamado “Ben Wa” às mulheres que desejam utilizar algum produto.

4. É coisa de mulher jovem

Cátia explica que a ginástica íntima pode ser praticada por mulheres de todas as idades. “As vantagens do pompoarismo ajudam muito a melhorar a qualidade de vida de todas as mulheres, independentemente da fase da vida”, reforça a profissional, que ensina que esta prática ajuda a melhorar a eficiência do trabalho de parto, a recuperação pós-parto, bem como a flacidez vaginal. “E como aumenta a libido, o pompoarismo também é excelente para as mulheres que enfrentam problemas com monotonia no casamento”, completa.

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Adaptação Ana Paula Ferreira

Deixar de fazer exercícios pode te deixar mais cansada

Foto Shutterstock

Se a rotina corrida está mantendo você longe dos exercícios físicos, saiba que seu corpo sente os efeitos do sedentarismo mais rápido do que se imagina. Veja a seguir o que acontece com o organismo depois de 30 dias parado:

1. A queima de gordura diminui 

Basta uma semana para o metabolismo desacelerar.  Assim, a capacidade de queimar gordura diminui, enquanto aumenta a taxa de açúcar no sangue.

2. A respiração fica “curta” 

“Estudos mostram que a capacidade cardiorrespiratória é a primeira a declinar quando o indivíduo deixa de realizar atividade física”, diz Giovanna Medina, ortopedista e professora do curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic, em São Paulo (SP).

3. Os músculos tornam-se mais fracos

O tempo desta perda é variável, mas, segundo Giovanna Medina, indivíduos mais treinados perdem musculatura mais rapidamente. “Um atleta profissional perde força muscular após uma semana, enquanto um indivíduo que pratica atividades físicas menos intensamente, tem esses efeitos após um mês”.

4. Ficamos mais cansadas

O cérebro deixa de produzir substâncias que evitam a depressão e a ansiedade. Assim, cansaço, falta de concentração,  irritabilidade, melancolia e perda de memória são outros sinais comuns da falta de exercícios.

Quer saber mais sobre saúde e fitness ? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Diana Cortez | Fotos Arquivo Pessoal | Adaptação Ana Paula Ferreira

Antes e depois de Flávia Monzano / Fotos Arquivo Pessoal

Desde criança, Flávia Monzano, 35 anos, sofria com o efeito sanfona.  “Tenho fotos magra, gordinha... Passei muitos anos da minha vida querendo ser esguia”, fala a gata,  que é coach em saúde, em São Paulo  (SP). Ela conta que, até os 32 anos de idade, sua rotina foi baseada em dietas e remédios para emagrecer. A luta contra a balança era diária. Mas como na maioria dos casos, era parar de tomá-los para os quilos voltarem muito rápido. “Não conseguia manter meu peso por um mês sequer”, lembra. A compulsão dominava Flávia e, muitas vezes, ela chegava a engordar o dobro do que emagrecia.  “Eu não tinha hábitos saudáveis e queria ser magra. Impossível! Comia um pote de Nutella por dia, além de lanches, refrigerantes, frituras, massas... Tudo em exagero!” Então, mais uma vez, ela se apoiava nos inibidores de apetite para secar. Até que a venda deles foi proibida no País. “Entrei em desespero porque não tinha controle sobre a minha alimentação e fui parar nos 104 quilos”, lembra. 

Na ansiedade para emagrecer, Flávia chegou a pensar na cirurgia bariátrica, mas desistiu. Foi quando ela parou para refletir sobre sua vida e entendeu que precisava mudar: “Estava muito infeliz comigo e decidi fazer algo diferente de tudo que já tinha tentado, pois nada havia dado certo. Precisava mudar minha relação com a comida e meu comportamento”. Então, pela primeira vez, em janeiro de 2014, decidiu procurar uma nutricionista e fazer uma reeducação alimentar.  “Confesso que no começo não acreditava que daria certo, mas eu precisava tentar. E, por fim, isso que me levou a chegar à minha meta.”

Ela, que até então era sedentária, também se matriculou em uma academia. E passou a combinar a musculação com exercícios aeróbicos: “Treinava uma hora e meia todos os dias!”. Dessa maneira, Flávia foi emagrecendo mês a mês até a balança apontar menos 38 kg em 11 meses! E se mantém assim há três anos. “Tomei as rédeas da minha vida e, hoje, tenho pleno domínio sobre minha alimentação. Conquistei o corpo dos sonhos, me tornei uma pessoa saudável e coach em saúde para ajudar quem sofre com a obesidade e a compulsão alimentar”, finaliza.

Os segredos do sucesso de Flávia

Não busque milagres

“Aposte em mudanças de hábitos permanentes e não em resultados rápidos, com dietas sem propósito. Reeduque-se e coma a cada três horas.”

Puxe ferro, sim!

“Faça treinos intensos de musculação desde o início. Além de acelerar seu metabolismo para a queima de gordura, esse exercício ajuda a combater a flacidez.”

Fique no controle

“Antes de ir a qualquer evento ou festa, faça uma alimentação saudável para evitar cair em tentação ou exagerar na comilança.”

Quer saber mais sobre nutrição? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

Continue Lendo >>

Por Carol Salles | Adaptação Ana Paula Ferreira

Lavar bem as mãos ajuda a evitar as crises de

alergia respiratória / Foto Shutterstock

É fato: outono e inverno, as estações mais frias do ano, trazem um aumento nas crises de alergia respiratória, como rinite e asma. São vários os fatores que favorecem o problema: “Há alteração na umidade do ar e mudanças bruscas de temperatura, o que irrita as mucosas. Além disso, permanecemos mais tempo em ambientes fechados e entram em circulação casacos, cobertores e roupas de lã, que estavam guardados, dois fatores que aumentam o contato com ácaros, poeira e mofo”, lista Caroline Adachi, alergologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, de São Paulo (SP). 

Quais são os sintomas?

- Rinite: obstrução nasal, coriza, espirros e coceira no nariz. Também pode surgir coceira no ouvido, garganta, céu da boca; vermelhidão, lacrimejamento e secreção nos olhos.

- Asma: falta de ar, dificuldade de respirar, tosse, chiado e sensação de aperto no peito.

Como minimizar os riscos? 

- Ventile os ambientes, deixando janelas e portas abertas.

- Lave roupas de frio e cobertores antes de usá-los, e deixe-os ao sol por algumas horas uma vez por mês, para evitar a proliferação de ácaros, poeira e mofo.

- Evite mudanças abruptas de temperatura. Mesmo que esteja quente dentro do ambiente, agasalhe-se antes de sair.

- Beba muita água.

- Lave bem as mãos com água e sabonete ou álcool em gel,  cubra nariz e boca ao espirrar, entre outras medidas para evitar resfriados e gripes. Embora causadas por vírus, essas infecções respiratórias podem, sim, desencadear uma crise de alergia.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

 

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock

Usar preservativo é essencial em todas as relações sexuais,

inclusive durante o período menstrual / Foto Shutterstock

Existem muitos mitos e dúvidas acerca do sexo durante a menstruação. Afinal, ter relação nesse período pode ser prejudicial para a saúde

De acordo com Roberto Debski, médico e psicólogo, de São Paulo, o ato sexual pode ocorrer normalmente, porém sempre com o uso de preservativo, assim como deve acontecer nas demais fases do ciclo. “Durante o período menstrual, o colo uterino permanece mais aberto, deixando o útero mais susceptível a uma possível contaminação pelo parceiro se houver uma doença sexualmente transmissível. Os fluídos menstruais – composto por sangue, tecido e células descamadas do útero – também podem contaminar o parceiro mais facilmente no caso de DST da mulher”, aponta. “Se não houver empecilhos como dor ou cólicas intensas na mulher, e restrições de ambos quanto ao contato com sangue, aversão ou tabus, o sexo neste período pode ser tão prazerosa quanto em qualquer outro”, completa. 

Para evitar possíveis problemas de saúde, contudo, o profissional ressalta que é importante urinar logo após a relação e fazer a higiene através do banho.

Mais prazer no período menstrual

Você já deve ter ouvido por aí que as mulheres sentem mais prazer ao fazerem sexo menstruadas. Segundo Debski, alguns trabalhos científicos mostraram que a maioria de nós realmente sente mais prazer durante este período, porém não existe nenhuma causa hormonal que explique esta sensação. 

“Outras mulheres sentem aversão ou falta de desejo neste período, por causas religiosas, ideias sobre limpeza e higiene, e medo de se expor neste contexto, que inclui o sangue e seus odores, e a sensação de incômodo que podem se sobrepor na situação. Quanto mais esclarecida for a mulher e seu companheiro, mais eles podem decidir com tranquilidade sobre manter ou não relações neste momento.”

Benefícios? Sim!

Roberto Debski explica que fazer sexo durante a menstruação pode oferecer benefícios à saúde da mulher. “A relação nesse período pode aliviar os sintomas incômodos como cólica e tensão, pois durante o orgasmo o corpo libera substâncias neurotransmissoras, como as endorfinas, que aliviam as dores e trazem relaxamento, a oxitocina, que amplia o vínculo afetivo, e a dopamina e serotonina, que trazem prazer e bem estar.” 

Continue Lendo >>

Por Ana Paula Ferreira | Fotos Divulgação

Seja sexy, clássica ou romântica, a lingerie é um dos fatores que contribuem (e muito!) para garantir um clima para lá de especial no Dia dos Namorados.

Para você surpreender seu amor e tornar a noite ainda mais inesquecível, selecionamos 70 lingeries incríveis, perfeitas para todos os gostos e estilos. Confira e escolha a sua! ;)

Continue Lendo >>

Por Letícia Ronche | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira

hiperidrose pode ter impacto negativo na vida profissional

e emocional de quem sofre com o problema

Foto Shutterstock

O suor é um fator essencial para nosso organismo, já que sua função é controlar a temperatura do corpo. Contudo, de acordo com Valéria Campos, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), de Jundiaí (SP), quem sofre de hiperidrose sente um impacto negativo na vida profissional e emocional.

Abaixo, listamos algumas formas de tratamento para o excesso de transpiração e os benefícios de cada uma delas. Confira:

Antitranspirantes

Funcionam em casos brandos. Os antiperspirantes contêm sais de metais, quando usados em maior quantidade, devem ser receitados pelo dermatologista, para evitar irritações.

Medicação

Apesar de pouco ministrados, os anticolinérgicos agem inibindo os neurotransmissores que estimulam as glândulas sudoríparas. Quando o problema tem origem emocional, propranolol e ansiolíticos podem aliviar os sintomas.

Iontoforese

Indicado para mãos e pés. Leva ao bloqueio temporário das glândulas produtoras de suor por meio de uma leve descarga elétrica emitida dentro de um recipiente com água. A taxa de sucesso é de 85%.

Toxina botulínica

Age no bloqueio dos neurônios que estimulam a produção de suor nas mãos, nos pés, nas axilas e na face; e tem alto índice de sucesso, com efeitos que duram várias semanas. Há o risco de fraqueza muscular.

Micro-ondas

Indicado para axilas, é uma tecnologia que aplica ondas de infravermelho e de rádio na camada de pele em que estão as glândulas responsáveis pelo suor e, por sua atuação sobre a água, é capaz de “cozinhar” essa estrutura.  É realizado rapidamente, em ambulatório e com anestesia local.

Cirurgia

Duas opções são indicadas quando outros tratamentos falham. Uma delas é a curetagem ou lipoaspiração da axila, que removem as glândulas sudoríparas. A outra é a simpatectomia torácica endoscópica (STE), que envolve a remoção dos nervos da medula espinhal ao nível do tórax, responsáveis pela inervação das glândulas sudoríparas das axilas, das mãos e da face. Esta segunda deve ser usada em casos severos, por ser muito complexa. Apesar do sucesso ser praticamente garantido, a STE apresenta sudorese compensatória,  suor intenso e excessivo que ocorre em outras áreas do corpo como costas, abdome e pernas.

Quer saber mais sobre saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui

Continue Lendo >>

Por Letícia Ronche | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira

A hiperidrose pode ter causas de origem emocional, genética,

hormonal e até por aumento de peso / Foto Shutterstock

Por mais que seja um incômodo, o suor é essencial, pois sua função é controlar a temperatura do corpo. “Apesar disso, quem sofre de hiperidrose sente um impacto negativo na vida profissional e emocional”, conta Valéria Campos, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), de Jundiaí (SP). Ela acrescenta que esse incômodo pode se manifestar em qualquer fase da vida. Karla Assed, dermatologista e membro da Academia Americana de Dermatologia (AAD), do Rio de Janeiro (RJ), traduz a hiperidrose como uma transpiração anormalmente aumentada que pode acometer o corpo todo ou áreas específicas. 

Diversos fatores envolvidos 

As causas podem ter origem emocional, genética, hormonal e até o aumento de peso pode influir. “A paciente costuma reclamar que quando passa por estresse, há piora do quadro. No verão intenso, causa desconforto e constrangimento, já que além do suor, a pessoa ainda exala odor”, diz Silvia de Mello, dermatologista,  do Rio de Janeiro (RJ). Valéria explica que a hiperidrose pode ser primária, sem uma causa aparente – também chamada de essencial –, ou secundária, quando é decorrente de outras doenças, como hipertireoidismo e diabetes.

Valéria revela que não há prevenção eficiente. “O que pode ser feito é usar técnicas para melhorar o estresse e, se possível, evitar lugares mais quentes. Mas muitos pacientes transpiram sempre, sem que haja fator desencadeante”, fala a médica. 

E se você pensa que a única ação da hiperidrose é o suor excessivo e o constrangimento, saiba que essa condição também favorece o aparecimento de algumas doenças de pele, “como eczemas, verrugas, infecção por fungos nas unhas e entre os dedos (pé de atleta), foliculite e odor desagradável”, diz Valéria Campos.

Saiba como identificar

O médico deve avaliar a hipótese de hiperidrose causada por outra doença. Usam-se os critérios a seguir para a palavra final:

- Início do quadro antes dos 25 anos de idade.
- Impacto negativo nas ações das atividades diárias comuns.
- Quando é bilateral e simétrica, ou seja, acomete ambas as mãos, ambos os pés ou ambas as axilas.
- Se ocorrer pelo menos uma vez por semana.
- Histórico familiar.
- Sudorese focal (em um só ponto) durante o sono.

Não acabou por aqui, não! Se você quer saber mais sobre o suor excessivo e quais são as melhores formas para tratar este problema, basta garantir a edição 340 da Corpo a Corpo! Então corra para a banca ou adquira a sua CORPO aqui → https://goo.gl/vHGVZp

Continue Lendo >>