A novidade acaba de chegar no Brasil e é indicada para pessoas que tem dificuldade de definição muscular

Texto: Mayara Alvez | Adaptação: Nathália Henrique

Conheça a lipoaspiração em alta definição

Foto: Danilo Borges

Nem sempre uma barriguinha saliente é sinal de falta de cuidados com o corpo. Para muitas pessoas, por mais que a alimentação esteja correta e os exercícios, na medida certa, muitas vezes parece impossível perder aquela gordurinha que sobra na cintura. E, mais difícil do que eliminá-la por completo é conseguir substitui-la por músculos definidos e desfilar por aí com quadradinhos invejáveis — situação que parece possível só para aquela sua amiga que nasceu assim.

Para ajudar a solucionar esse drama, acaba de chegar ao Brasil a lipoaspiração em alta definição. “Ela é setorizada, mais controlada, e retira uma maior quantidade de gordura de algumas partes, fazendo o desenho muscular desejado”, explica André Eyler, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da American Society of Plastic Surgeons (RJ). A novidade, apresentada no Meeting de Cirurgia Plástica, em San Diego, nos Estados Unidos, é indicada para pessoas de qualquer idade com dificuldade de definição muscular, mesmo realizando exercícios regulares.

Ficha técnica

Tempo de duração em média, duas horas.

É realizado em hospital, com anestesia local, e requer internação.

Indicado para pessoas que praticam exercícios regularmente e têm dificuldade de definição abdominal.

Contraindicado para pacientes com muita flacidez e obesas.

Cuidados pós-operatórios é necessário ficar de três a cinco dias em repouso, usar uma cinta e fazer drenagem linfática para eliminar o inchaço.

Privações pós-operatórias consistem em não se expor ao sol por pelo menos dois meses, não se exercitar por 30 dias e evitar qualquer trauma.

Resultado aparece logo após a cirurgia, já é possível ver a definição, mas, com o tempo, à medida que o edema sai, vai melhorando cada vez mais. Até seis meses, o resultado é 100%.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 301