Saiba como o cigarro pode comprometer a cirurgia plástica e causar complicações

Texto Karine César | Adaptação Rebecca Nogueira Cesar

Plástica

Cigarro pode causar complicações na cirurgia plástica

Foto: Danilo Borges

Cigarro não combina com plástica! Fumantes têm mais complicações respiratórias pós-cirúrgicas e maior dificuldade para a cicatrização.

O fumo leva a uma diminuição no calibre dos vasos sanguíneos, aporte de oxigênio e nutrientes na pele. Alguns estudos apontam um aumento de até quatro vezes no número de complicações em decorrência do tabagismo.

“Recomendo parar de fumar, no mínimo, um mês antes da intervenção e por tempo variável após a cirurgia”, adverte Marcelo Wulkan, cirurgião plástico (SP).

Revista Corpo a Corpo | Ed. 290