A gluteoplastia de aumento é uma cirurgia para remodelar o bumbum e vem despertando o interesse da mulherada! Conheça a plástica veja se vale apena investir

Reportagem: Caroline Sarmento

bumbum

Gluteoplastia pode acabar com a flacidez e levantar o bumbum
Foto: Moisés Pazianotto

A gluteoplastia, conhecida também como plástica no bumbum, realiza um sonho: glúteos durinhos, sem flacidez e sempre para cima.

“Nos últimos anos, o número de gluteoplastias vem crescendo com frequência, sem dúvidas”, analisa a cirurgiã plástica Ana Paula Polato (SP).

O termo gluteoplastia se aplica a toda cirurgia que visa remodelar a região glútea. “A mais conhecida é a gluteoplastia de aumento, onde é incluída uma prótese de silicone nos glúteos, melhorando a flacidez e dando volume para a região” explica Ana Paula.

Com um valor que varia entre R$ 6.500,00 e 10.000,00 é possível conquistar um bumbum sem flacidez. A durabilidade da prótese é imprecisa, mas sabe-se que pode permanecer no corpo por até dez anos.

A plástica no bumbum permite três tipos de próteses: redondas (para dar mais volume à região superior das nádegas, principalmente), quartzo (para pessoas altas e com nádega longa) e ovais (para aumentar as nádegas lateralmente também).

De acordo com a cirurgiã plástica, as mulheres buscam na gluteoplastia a assimetria da região, melhora nas nádegas e bumbum maior. As próteses são feitas de gel coesivo de tamanhos entre 150 e 480 ml, dimensões que devem atender o padrão corpóreo da paciente e desejo.

Bumbum dos sonhos:

Ana Paula destaca que o tipo de glúteo mais procurado é o formato redondo e empinado. A prótese mais pedida é a redonda, pois a maioria das pacientes tem a região do quadril estreita. “Ela buscam sempre volume na região superior das nádegas”, completa.

 De acordo com a cirurgiã plástica, existem pacientes saudáveis que procuram pela cirurgia. Antes de embarcar na onda, lembre-se que existem exercícios e treinos que podem deixar o bumbum durinho e são alternativas menos drásticas.

Outro cuidado é a flacidez: “A cirurgia é contraindicada para pessoas que têm a flacidez muito acentuada na região. Nesses casos, deverá ser realizada a retirada de excesso de pele da região associada à inclusão do silicone”, explica Ana Paula.

Cuidados que devem ser tomados:

A avaliação pré-operatória é fundamental, bem como a retirada de fatores que aumentem os riscos de trombose venosa no pós-operatório, como tabagismo e uso de anticoncepcionais”, indica a especialista.

Depois da cirurgia é indicado o repouso pós-operatório, que segundo Ana Paula é fundamental. “O pós diminui a incidência de complicações como sangramentos, deiscência (abertura) de cicatriz e deslocamento das próteses. A limpeza criteriosa do local da incisão é importante para diminuir ao máximo o uso de infecção da cicatriz, que é mais frequente do que em outras cirurgias, pela proximidade ao ânus”, indica.

Ana Paula explica que a cicatriz é discreta e a internação é de um dia. A dor é controlada por remédios, também é utilizado um dreno de aspiração de 4 a 7 dias pós-operatório, para que a região não fique com hematomas.

Também deve-se evitar movimentos bruscos na região, preferir caminhadas curtas e até dez e dormir de barriga para baixo.