Veja quais são as técnicas para turbinar os seios com próteses de silicone e escolha a sua

Reportagem: Kátia Neves

tecnicas-para-turbinar-os-seios

Quatro maneiras diferentes de turbinar os seios
Foto: Danilo Borges

Para cada caso, uma técnica de implantes de silicone diferente:

Periareolar Inferior (chamada também de incisão de webster)

Localizada na borda inferior da aréola, acompanha seu formato como uma meia-lua.

Vantagem: existe uma diferença de coloração entre a aréola e a pele normal, camu­flando a cicatriz.

Contraindicação: aréola muito pequena, impossibilitando a colocação da prótese. Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico (PR), há ainda mais dois tipos de incisão pela aréola: em linha reta ou transareolopapilar, ou seja, cortando o mamilo pelo meio. “Essa técnica, descrita pelo professor Ivo Pitanguy, é muito utilizada para caso de redução de mamilo ou de mamilo invertido”, conta o médico. Há ainda a técnica areolar que mistura as duas anteriores (reta no meio da aréola e circular no mamilo).

 

 

 

Sulco inframamário

É a região que proporciona melhor visualização da parte interna da mama e maior facilidade cirúrgica.

Vantagem: não deixa cicatrizes nas aréolas.

Contraindicação: pacientes com tendência a queloide e manchas e seios muito pequenos, que não formam o sulco inferior.

­Umbilical

A incisão é feita na margem do umbigo e, com a ajuda de um endoscópio, cria-se um caminho por meio da gordura subcutânea até a mama. Ela normalmente é realizada apenas para a colocação de próteses inf­láveis com soro ­fisiológico, que muitas vezes não ­ficam com a mesma consistência da prótese preenchida com gel de silicone. Além disso, devem ser trocadas a cada cinco anos.

Vantagem: pode ser feita em pessoas que desejam realizar plástica de abdome e aumentar as mamas em um mesmo procedimento.

Contraindicação: esta via de acesso não pode ser realizada com uma prótese de silicone, uma vez que o caminho até a mama é estreito e há di­ficuldade de visualização do campo operatório, facilitando sangramento se hematomas. Sem contar que o soro, com o tempo, pode vazar pela cápsula.

­Axilar

Esta incisão é realizada na axila, seguida de um descolamento do músculo peitoral maior.

Vantagem: evita cicatrizes nas mamas.

Contraindicação: costuma ter resultado inestético, porque aparece quando a paciente levanta os braços. “Ela também é dif­ícil sob o ponto de vista técnico, pois a distância da mama di­ficulta a visualização e possibilita maior sangramento e hematomas”, comenta Charles Yamaguchi.