A queda de cabelo é um efeito colateral muito conhecido da quimioterapia. Contudo, o tratamento também pode afetar a pele. Veja algumas dicas para manter a tez saudável durante este período

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação web Ana Paula Ferreira



Um dos efeitos colaterais mais conhecidos da quimioterapia é a queda de cabelo, mas o tratamento também deixa suas marcas na pele. “Os medicamentos agem no organismo todo, não apenas nas células cancerosas. A cútis fica mais fina e sensível, com coceira, ressecamento, vermelhidão e tendência à irritação”, enumera Érica Monteiro, dermatologista, de São Paulo (SP). “Nesses casos, os cosméticos comuns devem ser usados com muita cautela, podendo ser até contraindicados, por conta dos componentes (perfume, conservantes e corantes), que costumam ser mais agressivos nessa tez sensibilizada”, explica a médica. 

A solução são os produtos formulados especialmente para peles sensibilizadas, como os dermocosméticos da marca Wecare, fabricados em São Paulo (SP). Os produtos — espuma de limpeza, loção hidratante, creme hidratante e máscara de efeito calmante, especialmente indicada para sintomas da radioterapia — previnem e amenizam os sintomas do tratamento. Por serem muito suaves, também podem ser usados em outros casos de fragilidade cutânea, como dermatites, rosácea e eczemas.

Quer conferir mais sobre beleza e saúde? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!