Os tratamentos a laser estão super em alta mas ainda geram muitas dúvidas. Confira alguns mitos e verdades sobre esse método!

Por Ana Paula Ferreira

A remoção de pelos em pele negra ou a remoção de pelos claros em qualquer

tipo de pele não é recomendada / Foto Shutterstock

Os procedimentos a laser estão bombando na área da estética. Não é para menos. Entre seus poderes, está a remoção de tatuagens, depilação, tratamento de manchas, entre outros.

Justamente por ter se tornado popular, cada vez mais surgem questões relacionadas ao método. Para auxiliar os pacientes, o médico dermatologista Emerson Alves, de São Paulo, listou os principais mitos e verdades sobre os tratamentos a laser para acabar de vez com as dúvidas sobre o assunto. 

1. Somente pessoas adultas podem realizar tratamentos a laser.

Mito. Recém nascidos com hemangiomas podem ser tratados nos primeiros dias de vidas. Já para a remoção de pelos, normalmente, espera-se o início da puberdade.

2. No verão a dor é a maior que durante o inverno.

Mito. O que pode acontecer é que lasers que utilizam a melanina da pele como alvo, como a depilação,por exemplo, causem mais incômodo no verão por conta da pele bronzeada, que contém mais melanina, convertendo a energia do laser em calor na superfície, o que ocasiona uma sensação de desconforto maior do que na pele não bronzeada.

3. Não pode se expor ao sol após o procedimento.

Verdade. No caso de peles claras, que passam pelo tratamento sem resultar em crostas ou inchaços, é liberada a exposição ao sol em poucos dias. Já nos tratamentos que ocasionam inchaços e crostas esperadas, principalmente em peles morenas, deve-se aguardar cerca de duas semanas para a exposição ao sol, quando ocorre a recuperação completa da pele.

4. Tratamentos a laser precisam de cuidado prévio.

Depende do caso. Lasers que utilizam o pigmento da pele (melanina) como alvos, como é o caso do tratamento de pelos e manchas, não devem ser realizados em peles bronzeadas. Outro caso em que é indicado o cuidado prévio é no tratamento com laser que produzem muito calor na pele para tratamento de rugas e estrias, por exemplo, situação em que se recomenda realizar o clareamento das peles morenas antes do procedimento para evitar manchas.

5. A recuperação do procedimento é longa.

Depende do caso. A recuperação do laser varia de acordo com o tratamento. A remoção de pelos possui uma recuperação extremamente rápida e sem complicações. Na remoção de manchas, ocorre a formação de pequenas crostas nos locais das manchas, que caem naturalmente em poucos dias. Já no tratamento de rugas profundas, pode ocorrer inchaço e pequena secreção que somem naturalmente entre 7 e 10 dias.

6. Existem peles que não podem fazer tratamento a laser.

Verdade. Pessoas com doenças autoimunes ou com antecedente de quelóide para tratamento de rugas profundas e estrias não podem fazer o tratamento, assim como não é recomendada a remoção de pelos em pele negra ou a remoção de pelos claros em qualquer tipo de pele. 

7. Estar com a pele bronzeada é um problema.

Depende do caso. Para procedimentos em que o alvo do laser é a melanina, sim. Por exemplo: depilação e remoção de manchas. Para outros procedimentos em que o alvo do laser é a água da pele, como é o caso do tratamento de rugas e estrias, apenas pessoas morenas não podem estar bronzeadas pelo risco de manchar a pele.

8. Tratamentos a laser doem.

Depende do caso. Tratamentos a laser podem doer, pois a dor está relacionada com o tipo e a intensidade do tratamento. Um tratamento para bioestimulação de colágeno com laser acroma, com pulsos curtos e baixa energia, para depilação de pelos finos e pouco densos em pele clara são praticamente indolores. Já o laser Long Pulse, utilizado com alta energia para tratamento de hemagiomas e depilação de pelos grossos e densos, é mais doloroso. Os tratamentos a laser que mais doem são os que geram mais calor no alvo do tratamento, como é o caso da depilação de pelos grossos e escuros em área inervadas, como a virilha, além do tratamento de rugas moderadas e profundas com laser Dualmode e a remoção de tatuagem com laser  acroma, além de hemangiomas, que é a formação benigna de vasos sanguíneos.