Vai curtir sol, praia, piscina? Já sabe sobre os cuidados que deve ter para proteger sua pele da exposição solar? Não? Então, fique por dentro da diferença entre protetor solar químico e físico

Por Kelly Miyazato

Entenda a diferença entre filtro químico e filtro físico
Foto: Assessoria | Deposit Photos

Ao pensar em verão é inevitável relacionarmos os dias de calor com praia, piscina e sol, não é verdade? Embora o uso diário do protetor solar (ou filtro solar) seja imprescindível, muitas pessoas só lembram nesse período. O que ainda a maioria desconhece é a diferença entre os filtros solares: físico e químico. Confira a explicação Christiane Gonzaga, dermatologista para entender qual é a função de cada um.

Diferença entre protetor solar físico e químico

O protetor físico é composto por minerais como óxido de zinco e de titânio. Esses são ideais para crianças, pessoas alérgicas e grávidas.  A principal diferença para o químico é o processo de proteção da pele. Ou seja, o filtro solar físico não reage com a pele e sim faz uma cobertura. Portanto, ele não é absorvido na pele, e sim refletido. 

No caso do protetor químico, para obter a proteção necessária ele pode possuir até sete substâncias químicas para manter um fator de proteção solar alto. O químico reage com a pele, absorve o raio solar e essa absorção faz com que a pele não seja agredida por conta dessa reação química dos produtos utilizados nos protetores. 

“Nada impede o uso de ambos os filtros (físico e químico) ao mesmo tempo. Assim como é recomendável em casos de Melasma (há a necessidade de uma proteção solar intensa)”, conclui. 

 

*Agradecimentos à Christiane Gonzaga, dermatologista.