Se você transpira a ponto de ter de trocar de roupa ao longo do dia, pode ser que seja portadora de hiperidrose. Mas a doença tem tratamento

Suor excessivo

A toxina botulínica é um dos meios de se livrar da hiperidrose
Foto: Danilo Tanaka

São inúmeras as causas da transpiração em excesso, mas ela pode ser amenizada com alguns tratamentos, como explica Fernando Passos de Freitas, dermatologista (SP): “Pode ser com aplicações de toxina botulínica ou com cirurgia, a Simpatectomia (que consiste na remoção do nervo simpático principal, responsável pela sudorese excessiva das mãos e das axilas)”.

Como não existe um exame laboratorial específico para definir quem é portadora da hiperidrose, o médico afirma que é preciso observar os sintomas. “Sudorese abundante significa umedecer, molhar ou encharcar, não em todo o corpo, mas sim em áreas específicas como a face, o couro cabeludo, o pescoço, as axilas, as mãos, as nádegas, ou os pés”, aponta o médico.

Como tratar a hiperidrose


Comumente a doença é tratada com fórmulas tópicas manipuladas e receitadas por médicos dermatologistas que devem ser aplicadas nas axilas, mas que também podem ser aplicadas nas mãos, nos pés e em outras áreas do corpo onde o problema se manifesta. “Atualmente existem no mercado alguns produtos como desodorantes, antiperspirantes, adstringentes, talcos que podem amenizar o problema”, informa Fernando Freitas.

Mas como a doença decorre de uma disfunção do sistema nervoso autônomo (inervação simpática e não do sistema nervoso central), os tratamentos com psicoterapia e psiquiatria podem ser uma excelente aliada. “Esse tipo de tratamento auxilia todas as pessoas a lidarem com situações difíceis, a aceitar suas limitações, mas não irá solucionar o problema por completo”, adverte o médico. Para o especialista, o melhor e menos doloroso tratamento é a toxina botulínica. “A aplicação deve ser feita com o uso seringas de insulina para assim conseguir evitar o desconforto (dor) e aumentar a precisão do procedimento.

Em geral, há necessidade de 15 a 30 injeções da substância nas áreas afetadas”, explica. O suor desaparece por um período que varia de seis a 12 meses. Esse tempo de duração dependerá da dose e do número de pontos aplicados, da quantidade de suor que a pessoa apresentava e de sua capacidade de absorção do medicamento.