Muita gente espera o ano inteiro para se esbaldar nas delícias das ceias de Natal e Réveillon. Para poder comer essas iguarias sem peso na consciência, confira as dicas de uma nutricionista!

Por Liana Pires | Foto Shutterstock | Adaptação Ana Paula Ferreira



Panetone, rabanada, manjar, salpicão, assados, farofa… Muita gente espera o ano inteiro para se esbaldar com essas delícias nas ceias de Natal e Réveillon. Mas e a dieta, como fica? Se só de pensar na resposta você já fica apavorada, saiba que é possível aproveitar essas iguarias sem ver o ponteiro da balança se mexer.

“Um dos segredos é modificar as receitas, substituindo alguns ingredientes por itens com menos gordura, sem lactose e integrais”, ensina a nutricionista Karoline Pereira Silva, da Academia Companhia Athletica Shopping Anália Franco (SP). Segundo a especialista, massas integrais com molho de atum, bacalhau, peito de frango desfiado ou mozarela de búfala são ótimas opções. Outras sugestões são peixes feitos no forno, frutas da estação (como melancia, ameixa, abacaxi, romã e morango) e arroz integral enriquecido com uvas-passas, gergelim, cenoura e linhaça.

Cuidado com os vilões

Mas se esses ingredientes estão liberados, outros são verdadeiros vilões. Karoline indica comer com cautela carnes cheias de gordura, carboidratos complexos (como arroz branco, pão e leite condensado) e bebidas que contenham alto teor alcoólico. “Quanto mais destilada é a bebida, mais calórica. Por isso, evite uísque e vodca. Prefira vinho tinto, suave ou frisante”, aconselha.

Para não exagerar, uma dica é, antes da ceia, tomar um chá digestivo com gengibre e hortelã. “Ele estimula a digestão e suaviza a sensação de estômago pesado”, afirma Karoline, que também incentiva a boa mastigação e o poder da compensação: se você consumiu massa ou algum alimento com muito carboidrato no almoço ou jantar, escolha uma fruta como sobremesa.

Depois da ceia

Segundo a nutricionista Leila Froeder, doutora em nutrição pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o maior vilão para o aumento de peso são os dias posteriores às festas, nos quais os alimentos muito calóricos continuam a ser consumidos. “O ideal é retornar ao cardápio habitual sem fazer compensações, como cortar refeições. Isso pode levar ao maior consumo de comida de forma compulsiva”, comenta Leila.Nos dias posteriores a uma dieta desequilibrada, a profissional indica o consumo de alimentos com índice glicêmico baixo e moderado, principalmente após as 17 horas. Nesse grupo estão os itens integrais, como arroz 7 grãos e pão integral, macarrão de quinoa, legumes, verduras e frutas como morango, pera, maçã e mexerica.