Você conhece a dieta dissociada? A fórmula, que separa carboidratos de proteínas, é fácil e promete eliminar até 10 kg em um mês. Confira o cardápio e aproveite as dicas para eliminar os quilinhos extras persistentes

Reportagem: Françoise Gregório
Realização: Tomaz Souza Pinto

Dieta dissociada

A dieta dissociada separa carboidratos de proteínas

Foto: Danilo Tanaka

Dieta dissociada. Para um regime, o nome parece estranho, mas faz todo sentido, já que prega a separação de carboidratos e proteínas no prato. "Essa é a única restrição da dieta dissociada: não consumir, por exemplo, grãos, tubérculos e farináceos junto com carnes, ovos ou derivados do leite. Isso porque a combinação desses macronutrientes gera uma substância que estimula o organismo a estocar gordura", explica o endocrinologista João César Castro Soares, do Spa Fazenda Igaratá (SP).

Segundo ele, o ideal é que você reserve os carboidratos para o almoço e as proteínas para o jantar. "À noite o gasto energético é menor, por isso boa parte das massas ingeridas não é queimada", justifica o especialista, que indica ainda uma dieta líquida uma vez por semana para potencializar o emagrecimento. "O ideal é que o cardápio dissociado seja seguido por até três meses, mas nada impede que se estenda o prazo, já que ele é balanceado e fornece 1.500 calorias por dia." A seguir, veja como colocar tudo isso em prática e realizar o sonho de entrar no biquíni tamanho P.

Não misturar carboidrato e proteína na mesma refeição pode ser mais fácil e mais gostoso do que você imagina. O cardápio abaixo, com 1.500 calorias por dia, é um bom exemplo. O critério para escolher os pratos? Apelar para o seu paladar ou o que tem dentro da sua geladeira.