Esta dieta para secar a barriga é dividida em duas fases e ajuda a emagrecer 7 kg em 32 dias, além de afinar 14 cm de cintura

Reportagem: Julia Fernandes

barriga

A dieta que seca a barriga é dividida em duas etapas.
A primeira serve para desintoxicar o organismo
Foto: Danilo Borges

Essa dieta para secar a barriga ajuda a garantir um abdome sequinho, sem qualquer sinal de gordura localizada. A proposta é apresentada no livro A Dieta da Barriga Zero! (Ed. Best Seller), escrito por Liz Vaccariello e Cynthia Sass — editora-chefe e diretora nutricional, respectivamente —, da revista Prevention, a publicação americana mais popular sobre saúde e qualidade de vida.

A dieta para secar a barriga é dividida em duas etapas. A primeira é um processo de quatro dias que visa a desintoxicação do organismo. “Ela retira vários alimentos que incham o trato gastrointestinal e coloca no cardápio cereais integrais, frutas, legumes, castanhas e uma água específica (água Sass) para detox, à base de gengibre e limão”, explica Fernanda Granja, nutricionista clínica especializada em nutrição funcional e fisiologia do exercício (SP).

Atacando o inimigo

Já a segunda etapa, que dura quatro semanas (completando os 32 dias do programa), inclui em cada refeição um ácido graxo monoinsaturado (AGMI). Isso mesmo, um tipo benéfico de gordura capaz de detonar a gordura da barriga que, além de causar desconforto estético, provoca problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares. Os pilares da dieta são: óleos, azeitonas, frutas oleaginosas e sementes, abacate e chocolate amargo.

“Eles possuem ômegas e minerais que aceleram a mobilização de gordura e diminuem o cortisol, hormônio gerado pelo estresse, por exemplo, quando dormimos pouco, nos alimentamos mal, se há excesso ou falta de exercícios físicos, em caso de exposição à poluição, agrotóxicos, etc.”, diz Fernanda Granja.

Quando questionada sobre a eficácia deste programa, a nutricionista atesta que funciona, “pois está firmado em pilares básicos da boa nutrição, como: comer pequenas porções várias vezes ao dia e incluir sempre nas refeições uma fonte de gordura boa (os AGMIs). Esse tipo de dieta se parece muito com a dieta mediterrânea, considerada a melhor do mundo”, revela.