Alguns cuidados na hora de preparar as marmitas congeladas garantem que a comida se mantenha saudável e rica em nutrientes por mais tempo. Confira!

Por Ana Paula Ferreira | Foto Estúdio Escala



Separar a comida em marmitinhas congeladas é uma ótima solução para aquelas pessoas que não conseguem manter a dieta em meio à correria do dia a dia. Contudo, é preciso se atentar a alguns cuidados na hora da preparação dos alimentos para garantir que as vitaminas e minerais sejam preservados. “No caso das frutas, o ideal é lavar, descascar e tirar sementes. Podem ser congeladas inteiras ou em pedaços”, explica Paula Vasconcelos, nutróloga do Espaço Volpi, de São Paulo. “Já no caso dos vegetais, devem ser lavados, descascados quando necessário, e cozidos no mínimo tempo possível, cerca de quatro minutos, para evitar maior perda de vitaminas”, completa ela.

De acordo com a profissional, esses alimentos duram, em média, três meses no congelador. A melhor forma de armazená-los é usando saquinhos a vácuo, sempre bem vedado com um zip ou elástico. “Quanto menos ar interno, menor a chance de se acumular gelo.”Todas as carnes magras também podem ser congeladas, cruas ou pré-cozidas. A orientação de Paula, neste caso, é usar menos temperos e não cozinhar demais porque o congelamento acentua os temperos e amacia os alimentos. “Grãos como feijão, grão de bico e lentilha, e cereais como arroz também podem ser congelados já cozidos e preferencialmente temperados após descongelados”, completa.

Vale ressaltar que, entre os nutrientes presentes nos alimentos, as vitaminas são os mais sensíveis, podendo haver uma perda de 10 a 25% no congelamento em relação ao alimento in natura.

Como descongelar?

O ideal é manter o alimento de 5 a 6 horas na geladeira, podendo agilizar o processo através do micro-ondas ou em banho-maria. 

Paula lembra ainda que, após o degelo, os ingredientes não podem mais voltar ao freezer. “É que caso de contaminação – que pode ocorrer em uma temperatura entre 15° e 50°, típica do degelo –, há risco de haver uma proliferação de bactérias, inclusive as que já estavam no alimento. Assim, você congela novamente um alimento ainda mais carregado de bactérias. E, como se sabe, quanto mais bactérias o alimento possuir, mais risco de infecções ou problemas gastrointestinais”, explica a nutróloga.

Apostas certas

De acordo com Paula, as melhores opções de alimentos para congelar são sopas ou cremes de legumes, sem creme de leite, que podem ser preparados e congelados já em porções individuais. “Molhos como o de tomate, preparado em casa*, são práticos e acompanham bem uma massa integral ou de legumes.” Outra dica legal da profissional é, para quem gosta de suco de verde, deixar a couve já batida e congelada em forminhas de gelo, pronta para ser usada.

*Para preparar molho de tomate, basta levar os tomates ao fogo sem água e sem a parte branca que aparece quando os cortamos ao meio. Quando formar o caldo, é só passá-lo na peneira para eliminar a casca e semente.