Há diversos pontos a serem levados em conta ao pensar em fazer a dieta do jejum. Confira se o programa é indicado para você!

Texto Thais Szegö e Marcia Di Domenico | Adaptação Ana Paula Ferreira

Saiba se a dieta do jejum é indicada para seu estilo de vida.

Foto Shutterstock

A dieta do jejum, conhecida também como programa 5:2 por causa da proporção de dias de alimentação normal e restrição calórica durante a semana, ganhou os holofotes depois que algumas famosas creditaram a ele sua perda de peso. O método conquistou adeptos, fez muita gente torcer o nariz e produziu uma legião de curiosos a respeito da segurança e eficiência do método. 

Diversos especialistas consideram a dieta dos 2 dias indicada em casos pontuais. “É uma boa opção para quem quer emagrecer rápido ou deseja eliminar poucos quilos, até 5% do peso corporal total”, comenta o endocrinologista Pedro Assed, pesquisador do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares do GOTA-PUC-Rio-IEDE, instituição ligada ao governo do Rio de Janeiro. “Mas não é recomendado segui-la por mais de 20 ou, no máximo, 30 dias.” Se o objetivo é enxugar muitos quilos ou fazer uma reeducação alimentar no longo prazo, com resultados consistentes e duradouros, a recomendação dele é escolher outro método, menos radical.

A nutricionista Maria Flávia Sgavioli, da Estima Nutrição, em São Paulo, concorda que, se o processo for acompanhado por um profissional, pode ser uma boa alternativa para reduzir pouco peso em pouco tempo porque não defende jejum absoluto nem restrições enormes nos outros cinco dias. “Mas é arriscado devido à baixa ingestão de nutrientes, que, em alguns casos, pode levar à desaceleração do metabolismo e ao perigo de desencadear uma compulsão alimentar”, afirma. Para não correr o risco, o jeito é ficar de olho para consumir quantidades suficientes de macronutrientes, vitaminas e minerais nos dias de alimentação livre.

Hipoglicemia, falta de disposição e prisão de ventre (principalmente se você descuidar de beber bastante água ao longo da semana) são efeitos possíveis da privação de nutrientes. Para prevenir os possíveis efeitos nocivos, é bom seguir a orientação de não ficar dois dias seguidos sem comer, o que também é uma forma de facilitar a adesão à dieta, já que é difícil ficar muito tempo à base de tão poucas calorias. Mas há quem ache que isso não seja suficiente.

“Na verdade, o método acaba sendo positivo mais pelos cinco dias com menos de 2000 calorias, refeições em horários regulares e alimentos de qualidade dos outros dias do que pelos dois dias em jejum, consumindo apenas 500 calorias”, diz Fernanda S. Ferraz, nutricionista clínica e sócia da Clínica MINND – Medicina Integrada em Neurologia, Nutrição e Dermatologia, em São Paulo. Para ela, como em qualquer outra dieta muito restritiva, nesta existe um risco grande de recuperar todo o peso perdido depois de retornar à alimentação normal. Sem falar no perigo de sentir fraqueza, dor de cabeça, irritação e mau hálito nos dias de jejum.

Fomos investigar para saber para quem a dieta do jejum é indicada. Confira:

Você vai gostar se...
- Tem uma vida social agitada, gosta de viajar e não quer se privar de aproveitar jantares e almoços especiais.
- Já experimentou diversos métodos para emagrecer e hoje busca uma reeducação alimentar, mais do que perda de peso imediata.
- É determinada e não costuma ser movida por impulso na hora de comer. Como nenhum alimento é proibido, nem no jejum, é preciso se policiar nos outros dias para não querer compensar e extrapolar as calorias.
- Não gosta da ideia de gastar muito no supermercado. Além de comer bem menos em dois dias da semana, o programa não prega nenhum item específico ou caro.

Melhor escolher outra se você...
- Não tem uma rotina organizada e chega a passar longos intervalos sem comer – uma das exigências do método é comer de três em três horas.
- Tem pressa para emagrecer ou quer mandar muitos quilos embora. Depois dos primeiros dois ou três, é preciso ter paciência e cabeça no lugar para continuar emagrecendo com o método.
- Treina regularmente ou em alta intensidade. Nos dias de jejum, você vai se sentir com menos energia, e insistir na malhação pode provocar dor de cabeça, tontura e desmaio.
- Fica de mau humor quando está com fome. Pelo menos até se acostumar com o cardápio limitado duas vezes por semana, você deve sentir bastante fome nessas ocasiões.

Quer conferir mais dicas de dieta? Então corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!