Comer demais antes de dormir engorda mesmo? Conheça os alimentos que estão liberados para comer à noite

Reportagem: Caroline Sarmento

alimentação-noturna

Alimentação pesada antes de dormir pode prejudicar a saúde
Foto: Shutterstock

Para ter uma noite de sono tranquila, é preciso ficar atenta ao que ingere. “Comer muito antes de dormir pode ser a causa de um aumento de peso, insônia, digestão, refluxo, apneia do sono e algumas doenças respiratórias”, explica Camila Avileis, nutricionista do Centro Terapêutico Máximo Ravenna (SP).

O indicado para o final do dia é ingerir alimentos com menor valor calórico, sem gordura, de fácil digestão, e com menor teor de sódio e açúcar. “Evite café, chá mate, chá branco, chocolate e doces. Os alimentos de difícil digestão são os gordurosos (linguiça, salame, salsicha, hambúrguer, frituras em geral, doces concentrados, creme de leite, queijos gordurosos, manteiga, carnes com gordura aparente, entre outros)”, exemplifica Camila.

De acordo com a especialista, o maior erro cometido na alimentação noturna é a refeição exagerada: “Como compensação de estresse acumulado durante o dia, é comum comer muito antes de dormir, ou ingerir alimentos de alta densidade calórica com grandes concentrações de gordura, provocando uma digestão mais prolongada de maior tempo de esvaziamento gástrico, o que pode atrapalhar o sono”, alerta.

Alimentação noturna saudável

Camila explica que o ideal é que a refeição seja realizada no mínimo 2h antes de se deitar. Refeições mais leves podem ser feitas mais tarde. “Tente evitar carboidratos simples (como pão, arroz, batata, macarrão, entre outros) que liberam mais energia. A liberação intensa de energia, que não será mais gasta, atrapalha o momento de relaxamento”, informa.

Os carboidratos simples têm altos níveis de glicêmicos e, consequentemente, aumentam a produção de insulina. “Assim, a sensação de fome é estimulada, aumentando o risco de crises de Síndrome de Alimentação Noturna (SAN). O aumento da secreção da insulina estimula a estocagem de gordura, podendo propiciar maior aumento de peso”, explica Camila.

Portanto, aposte em alimentos leves em pequenas quantidades, como carnes magras (peixes, aves), caldo de legumes, frutas, verduras e legumes, grãos e chás que não apresentem cafeína na composição.

É verdade que comer muito à noite engorda?

O consumo excessivo de alimentos durante a noite ou altas horas da madrugada pode sim influenciar no aumento de peso. “O ganho de peso acontece pela redução metabólica enquanto se dorme. Isso faz com que o gasto de energia seja reduzido. O excesso de energia da alimentação será estocado em forma de gordura”, explica a nutricionista.

A alta concentração de insulina após o consumo de alimentos de alto índice glicêmico pode gerar aumento de peso, já que este é um hormônio anabólico, ou seja, estimula o aumento dos tecidos, especificamente o estoque de gordura.

Vale ressaltar a importância do repouso metabólico durante a noite. “Com a redução do gasto calórico, e a regulação hormonal no sono profundo, a mobilização dos estoques de gordura são potencializados, assim como a redução da retenção de líquido. A diminuição do metabolismo é tão clara, que é comum conseguirmos manter perfeitamente a dieta no período da manha, após uma boa noite de sono”, completa Camila.