Além de engordar e ser o grande responsável pelas celulites femininas, os refrigerantes também trazem danos mais graves à saúde

Reportagem: Camila Saipp

malefícios dos refrigerantes

As versões light e zero também trazem alguns danos à saúde
Foto: Shutterstock 

Você já deve estar cansado de ouvir que os refrigerantes fazem mal à saúde e que são capazes de acabar, em pouco tempo, com a sua boa forma, mas ainda assim, não consegue eliminá-los de vez da sua rotina, não é?! Assim como você, milhares de outras pessoas passam por isso, já que o refrigerante é a segunda bebida mais consumida no mundo – atrás apenas da água.  

Além de seu alto teor de açúcar, que eleva também o valor calórico da bebida, os compostos presentes nos refrigerantes, como sódio, corantes, acidulantes e conservantes, podem apresentar sérios riscos à saúde do indivíduo a médio e longo prazo. “O consumo da bebida pode resultar em retenção hídrica, visível inchaço nas pernas e membros inferiores, comprometimento do trato gastro intestinal, sensação de empachamento durante a refeição, desconforto gástrico, etc.”, explica a nutricionista Vanessa Suzuki.

Andréa Santa Rosa Garcia, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional, completa: “Além de possuir muitas substâncias artificiais em sua composição, o refrigerante contém valor nutricional quase nulo. As variações cola, em especial, contam com uma grande quantidade de fosfatos, que em excesso, provocam o enfraquecimento dos ossos através da liberação do cálcio. Dessa forma, é facilitada a incidência de doenças ósseas, como a osteoporose. A bebida ainda é rica em açúcar, que além de prejudicar a boa forma, propicia o surgimento de cáries, principalmente nas crianças”.

Light e zero
Ainda que o nome soe menos agressivo, os refrigerantes light e zero também são prejudiciais em muitos aspectos. Apesar do teor de açúcar ser reduzido - no caso do light – e eliminado – no caso do zero – e, portanto, o valor calórico dos dois ser bem menor do que o do refrigerante normal, eles contam com uma quantidade de sódio muito maior em sua composição. “Na versão light, 25% do valor calórico ou de algum componente do refrigerante foi reduzido e na versão zero o açúcar foi totalmente excluído. Mas vale ressaltar que essas versões têm uma quantidade de sódio muito elevada, colaborando para a retenção de líquido e aumento da pressão arterial”, aponta a Dra. Andrea.

A nutróloga Liliana Oppermann enxerga uma semelhança muito grande entre as duas versões: “Não há muita diferença entre light e zero. Ambos têm um teor calórico muito baixo, mas também não oferecem nutrientes”, acredita.

E se depois de tudo isso, você ainda não conseguir tirar o refrigerante da sua alimentação, a Dra. Vanessa recomenda: “O ideal seria incluir diariamente na alimentação muita água pura e sucos de frutas e folhas. No entanto, para quem precisa diminuir o consumo ou vai estar numa festa de final de ano e deseja consumir, a dica é no máximo um copo de 100mL, sem esquecer de ingerir água pura logo depois!”. Anotado?!