Especialista esclarece benefícios e dúvidas a respeito dos suplementos e recomenda os produtos mais adequados para cada necessidade

Por Ana Paula Ferreira

Suplemento nada mais é do que o nutriente retirado de um alimento e concentrado

em um produto específico / Foto Shutterstock

Os suplementos já fazem parte da alimentação de muitas pessoas que praticam atividade física. Entre seus efeitos, está o ganho de massa muscular, redução da gordura corporal e até mesmo a melhora do condicionamento físico.

De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Suplementos Nutricionais (Brasnutri), o crescimento no consumo destes produtos foi de 12% na comparação entre 2014 e 2016. Ainda assim, seu uso ainda gera muitas dúvidas. Para esclarecer algumas delas, listamos abaixo informações importantes sobre os suplementos. Confira!

1. Quem pode tomar?

Em primeiro lugar, é preciso entender que suplemento nada mais é do que o nutriente retirado de um alimento e concentrado em um produto específico. “Qualquer pessoa pode consumir suplementos alimentares. Antigamente, pensava-se que os suplementos eram elementos específicos da dieta de atletas ou de pacientes em tratamento. Hoje em dia, sabe-se que a rotina de vida de muitas pessoas às vezes não permite que todos os nutrientes que nosso corpo precisa sejam fornecidos através das refeições”, explica Diogo Círico, nutricionista esportivo e representante da marca Growth Supplements. 

2. Quando começar a tomar?

É possível encontrar facilmente suplementos em farmácias ou lojas. Contudo, não é indicado que o consumo seja feito por conta própria. Com a orientação de um especialista, é possível descobrir qual tipo de suplementação fará bem para seu organismo e corpo. 

“Um indivíduo que não seja profissional de nutrição não tem capacidade de analisar suas demandas nutricionais. Por isso, não terá como saber se o produto será realmente benéfico para ele ou se apenas será um desperdício de investimento financeiro”, diz Círico. 

3. Há contraindicações?

A principal recomendação é consultar um profissional nutricionista de confiança. “O fato é que os suplementos são fornecedores de nutrientes, e nosso organismo usa tais elementos de acordo com a necessidade e não de acordo com a oferta”, salienta o profissional. Outra contra-indicação é decorrente de alguma alergia aos componentes de determinado suplemento, fator que também será avaliado pelo nutricionista.

4. Quais são as indicação para quem já treina?

Um bom condicionamento físico pode ajudar na hora de definir o tipo de suplementação necessária para seu corpo. “Há pessoas bem condicionadas em força, bem condicionadas em técnicas, bem condicionadas em agilidade e tantos outros”, explica Círico. 

Para quem está focado em treinos de força, os suplementos normalmente indicados são Creatina, Leucina, Whey Protein, Arginina e Ômega-3.  Já para quem busca a prática de endurance, ou seja, exercícios de longa duração, a aposta geralmente é Beta-Alanina, Arginina, Cafeína, Ômega-3, Whey Protein e BCAA.

6. E se o foco é energia?

“A palavra energia é muitas vezes mal interpretada por indivíduos leigos. Tecnicamente, a energia é proveniente das calorias – são nutrientes como carboidratos, proteínas e gorduras usados pelo metabolismo para produzir uma forma específica de energia que será utilizada pelas células do organismo”, explica o nutricionista. É por esse motivo que é tão importante identificar a necessidade energética específica de cada organismo.

No caso dos carboidratos, os suplementos mais indicados são Maltodextrina, Dextrose, batata-doce em pó e Waxy Maize. Para as proteínas, invista em Whey Protein, Albumina e proteínas vegetais, como soja, arroz e ervilha. 

Boas fontes de gordura são a pasta de amendoim e o óleo de coco. “De maneira empírica, energia também é conhecida como disposição, e esse tipo de energia é proveniente dos estimulantes, como a cafeína”, conclui ele.

7. Quais os melhores tipos para o foco no ganho de massa muscular

“A lista deve incluir os suplementos mais famosos, como a Creatina, combinada com uma fonte proteica de rápida digestão e alto valor biológico, sendo o Whey Protein a melhor opção do mercado”, aponta Círico. “A Leucina é um aminoácido isolado muito importante para sinalização celular de produção de novas proteínas – e é indicada no final do treino junto com o Whey. A Glutamina também pode acompanhar o shake de Whey e Leucina, e esse aminoácido ajudará o tecido muscular a se recuperar mais rapidamente dos esforços do treino.” 

Além destes produtos indicados pelo profissional, há opções como suplemento de óleo de peixe e Ômega-3, que oferecem os ácidos graxos que devem ser consumidos longe dos treinos.