Você sabia que o chocolate amargo ajuda a emagrecer? Será que ele dá espinhas? Desvende oito mitos e verdades sobre o chocolate amargo

Texto Ana Araujo

Mitos e verdades sobre o chocolate amargo

Vamos desmistificar os mitos e verdades sobre o chocolate amargo?

Foto: Pixabay

Para quem ama chocolate, todo dia é dia de se deleitar com aquele pedacinho derretendo na boca. Porém, se você faz parte do grupo das que comem e depois morrem de culpa, temos uma sugestão: troque a versão branca e ao leite pela amarga. Para fazer isso sem medo, desmistifique oito mitos e verdades sobre o chocolate amargo.

1. O chocolate amargo é mais saudável do que os demais.

Verdade. O cacau, matéria-prima do chocolate, é cheio de nutrientes que melhoram a circulação sanguínea no cérebro, turbinando a memória. Além disso, o fruto é fonte de potássio e magnésio, minerais envolvidos na força muscular, de cromo, que regula a quantidade de açúcar no sangue e dá um basta à gula, e de ferro, protegendo contra anemia.

Por isso, quanto mais cacau, mais benefícios essa delícia traz. Isso deixa o chocolate amargo em primeiro lugar no pódio de amigos da saúde. “Lembrando que o chocolate branco não contém cacau em sua composição, e sim manteiga e gordura, portanto são isentos desses benefícios”, alerta a nutricionista Débora Werneck, da Nação Verde, de São Paulo. Segundo a especialista, os chocolates extra-amargo (75 a 85% de cacau), amargo (50 a 75%) e meio amargo (35 a 50%) são tiros certos.

2. Chocolate amargo engorda.

Depende. Obviamente, se você devorar uma barra inteira as consequências aparecerão na cintura, mas, com moderação, ele ajuda a emagrecer. “O cacau tem 2-feniletilamina e a N-aciletanolamina, duas substâncias que agem no cérebro fechando os receptores que estimulam a vontade de comer doces”, explica a médica nutróloga Ana Luísa Vilela, de São Paulo. Além disso, o fruto libera leptina, hormônio que controla a saciedade. A quantidade recomendada é de dois tabletinhos (30) g ao dia, de preferência antes de praticar alguma atividade física ou no inicio do dia.

3. Chocolate amargo faz bem ao coração.

Verdade. E não estamos falando do efeito emocional. Ele é fonte de teobromina, substância que dilata os vasos sanguíneos, ajudando a baixar a pressão arterial. Como se não bastasse, o chocolate amargo diminui a tendência de coagulação.

Leia mais:

Aprenda a aliviar a TPM com chocolate sem prejudicar a dieta

Você desconta as emoções na comida? Conheça os 6 motivos que fazem você engordar

Xô, TPM! Confira um cardápio para aliviar os sintomas (com chocolate!) 

 

4. O chocolate amargo aumenta o colesterol ruim.

Depende. A guloseima leva gordura em sua fórmula para dar brilho e aquela sensação de derretido na boca, e aqui entra a pegadinha. Se o fabricante usar gordura vegetal hidrogenada, sinal vermelho, pois ela coloca a perder os benefícios que o cacau oferece, eleva o mau colesterol LDL e diminui o bom colesterol HDL. Já o chocolate amargo de qualidade leva manteiga de cacau e outras gorduras nobres – essas, sim, que diminuem o mau colesterol e aumentam o bom colesterol. “A dica é sempre observar no rótulo se há gordura trans na composição. Se houver, ele contém gordura hidrogenada”, ensina Débora Werneck.

5. Chocolate amargo causa espinhas e cravos.

Mito. A acne é diretamente relacionada à oleosidade da pele, então, alimentos com gorduras já foram apontados como causadores ou agravantes do problema. “No entanto, não há nenhuma evidência científica de que o chocolate em si possa agravar ou ser responsável pela condição”, ressalta a nutróloga Ana Luísa Vilela. Os estudos que indicam que chocolate amargo causa espinhas usaram poucas pessoas para provar a tese, o que faz deles inconclusivos.

6. O chocolate amargo protege o corpo dos efeitos do sol.

Verdade. Um estudo publicado no jornal científico National Institute of Health sugeriu que pessoas que comem diariamente 20 gramas de chocolate amargo durante três meses estão mais protegidos dos raios UV do que aqueles que não consumiram. Os responsáveis são os flavonoides, compostos presentes no cacau que, por serem antioxidantes, repararam as células e previnem o envelhecimento precoce.

7. Chocolate amargo não alivia a TPM, ansiedade e estresse, apenas a versão ao leite faz isso.

Mito. Aliás, a primeira opção é melhor por conter mais cacau. O fruto contém duas substâncias que deixam você felizinha, a feniletilamina e a anandamida. A primeira cria no cérebro a mesma química de quando você se apaixona. Já o segunda, encontrada apenas nessa planta, é um tipo de endorfina que o corpo fabrica naturalmente depois da atividade física. A felicidade tem gostinho de chocolate!

8. Chocolate amargo tira o sono.

Mito. Ele é, sim, um estimulante por aumentar os níveis de serotonina e feniletilamina (que falamos acima), substâncias que dão disposição e ânimo. Entretanto, o estímulo não é suficiente para deixá-la acordada a noite inteira, ainda mais respeitando a quantidade de ingestão recomendada. Por via das dúvidas, evite comer essa delícia antes de dormir.

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título