A salada de pote é uma ideia super prática para um almoço ou jantar saudável. Confira algumas dicas de como montar a sua!

Por Ana Paula Ferreira

A salada de pote é uma opção prática e leve para as refeições

Foto Divulgação

A salada de pote conquistou os adeptos das dietas e alimentação saudável. Não é para menos. Além de ser uma opção leve e gostosa para as refeições, a praticidade na hora da preparação conta muitos pontos. 

Vale ressaltar que, para montá-la, não basta apenas colocar diversos ingredientes aleatoriamente num vidro. De acordo com a chef de cozinha e nutricionista Carina Müller, do Namu Cursos, é preciso seguir uma técnica e ter cuidados. 

Outro ponto importante é sempre optar por potes de vidro – com ele, sua salada se manterá fresca por até três dias. “A principal vantagem é que o vidro pode ser esterilizado e utilizado novamente, opção retornável e ecologicamente correta. Outra vantagem é que pelo formato dele, mantém o molho da salada na parte inferior do vidro quando na vertical, ou seja, as folhas continuam crocantes e na hora de comer é muito prático, pois basta chacoalhar o vidro e temperar tudo por igual”, explica Carina.

A seguir, a profissional listou algumas dúvidas e orientações importantes para você preparar uma salada de pote. Confira!

Qual o melhor jeito de prepará-la? 

Molho em baixo, grãos e legumes mais duros em seguida, na sequência frutas ou outros legumes e verduras mais sensíveis e por último, as folhas e ervas. 

Quais os cuidados básicos que devemos ter ao prepará-la?

Higienizar muito bem os vidros antes, lavando e passando água fervente. Lavar os legumes e verduras que serão consumidos crus com uma solução de hipoclorito de sódio e água, enxaguando e secando em seguida. Os grãos e leguminosas devem ser deixados de molho em água por pelo menos 4 horas antes de serem cozidos. 

Existe um tipo certo de pote de vidro?

Deve-se atentar para a tampa, que carece ter uma cobertura para não enferrujar. Geralmente potes maiores e mais grossos são melhores, pois são mais resistentes e cabem mais alimentos que compõem uma refeição completa. 

A quais tipos de alimentos devemos dar prioridade? 

Legumes, verduras, frutas, grãos (quinua, trigo, cevada, amaranto) e leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, grão de bico e etc).