O GH, hormônio responsável pelo estirão de crescimento da adolescência, tem funções nobres também na vida adulta: é importantíssimo para a manutenção da massa magra e para a queima de gordura. Mas nem sempre é preciso lançar mão das seringas para contar com ele. Medidas simples regulam sua produção natural e favorecem o corpo sem descuidar da saúde

Reportagem: Rita Trevisan e Thaís Macena

Hormônio GH


Foto: Danilo Borges

Não por acaso o GH é conhecido como o hormônio do crescimento. Durante a infância e a adolescência, manter a sua produção em níveis adequados é essencial para que os ossos possam se alongar, garantindo que se atinja uma boa estatura. O que pouca gente sabe é que essa substância produzida na parte posterior do cérebro continua tendo diversas funções anabólicas e metabólicas essenciais à saúde mesmo quando paramos de crescer.

“Dos 25 anos em diante, o GH continua sendo importante para garantir uma boa densidade óssea e para a manutenção da massa muscular, além de ser um dos responsáveis pela queima de gordura”, explica Edmond Saab Jr., cardiologista, nutrólogo, especialista em prática ortomolecular e autor do livro Manual do Proprietário (Ed. Delphos).

Por isso mesmo, o GH pode ser um grande aliado de quem deseja conquistar e manter curvas perfeitas. “O hormônio também estimula a síntese de proteínas e a renovação dos tecidos, o que faz que tenha uma função importante para manter a juventude da pele”, complementa Edmond Saab.