O GH, hormônio responsável pelo estirão de crescimento da adolescência, tem funções nobres também na vida adulta: é importantíssimo para a manutenção da massa magra e para a queima de gordura. Mas nem sempre é preciso lançar mão das seringas para contar com ele. Medidas simples regulam sua produção natural e favorecem o corpo sem descuidar da saúde

 

Como é o tratamento do GH?

A indicação de reposição do hormônio do crescimento, no entanto, precisa ser feita com todo o rigor pelo médico. Isso porque a substância, quando encontrada em excesso no organismo, pode provocar efeitos colaterais bastante sérios. Para evitá-los, o primeiro passo é se submeter a uma bateria de exames. “Antes de prescrever as injeções, normalmente avaliamos a história clínica da paciente e realizamos exames físicos e laboratoriais, como a dosagem das substâncias IGF1 e IGFBP-3 no sangue, para fechar o diagnóstico”, explica Edmond Saab. Porém, mesmo quando esses testes indicam que o hormônio está baixo ou em níveis inferiores ao que é considerado normal, a conduta padrão é orientar a pessoa sobre mudanças no estilo de vida. “Muitas vezes, basta equilibrar a dieta, iniciar uma rotina de exercícios e melhorar o sono para que a produção de GH se normalize. Também é comum fazermos a suplementação de nutrientes necessários para a metabolização do hormônio, como a arginina, a ornitina, o magnésio e a vitamina B6, de preferência administrados à noite”, afirma o ortomolecular.

A avaliação clínica e laboratorial é normalmente repetida no prazo de alguns meses, para se medir o impacto das modificações feitas. Se não houver melhora, aí sim inicia-se a reposição. A quantidade de hormônio e a frequência das aplicações variam de uma pessoa para outra, principalmente em razão do peso e da idade. Mas, em geral, as injeções são indicadas duas vezes por semana. O tratamento de reposição também não é dos mais rápidos. Muito pelo contrário. Os resultados não são definitivos. Assim, logo ao cessar a suplementação do hormônio, perdemos rapidamente todos os benefícios alcançados. É muito comum que, uma vez iniciado o tratamento, ele seja mantido para sempre.