O GH, hormônio responsável pelo estirão de crescimento da adolescência, tem funções nobres também na vida adulta: é importantíssimo para a manutenção da massa magra e para a queima de gordura. Mas nem sempre é preciso lançar mão das seringas para contar com ele. Medidas simples regulam sua produção natural e favorecem o corpo sem descuidar da saúde

 

Dieta Pró-GH


Os hábitos alimentares também podem favorecer a produção e a liberação do hormônio no organismo, garantindo que ele desempenhe plenamente suas funções, entre elas a de queimar as gordurinhas e preservar os músculos. As nutricionistas Daniela Campi (SP), Janete Neves (SP) e Flavia Ramos (RJ) ensinam como fazer isso.

- Alimente-se a cada três horas, fazendo três refeições principais e três lanches. Isso evita picos de insulina que podem influenciar na produção do GH.

- Turbine a alimentação com fontes de aminoácidos, que são essenciais para a produção do hormônio: gelatina, nozes, amêndoas, amendoim, castanha de caju, avelã, carnes em geral, peixes, ricota e cottage, cevada e arroz. Eles são ricos em arginina e ornitina, entre outras substâncias precursoras do
hormônio do crescimento.

- Reduza os carboidratos na ceia, pois eles atrapalham a secreção de GH durante a noite. Boas opções para o período são uma maçã com casca cozida e canela, um copo de mingau de leite de soja com uma colher (sopa) de farelo de aveia, ½ mamão ou uma pera com uma colher (sopa) de farinha de linhaça e uma colher (sopa) de flocos de quinoa.

- Aumente o consumo de alimentos com poder antioxidante e anti-inflamatório, que potencializam a ação do GH no que diz respeito à capacidade de desacelerar o processo de envelhecimento. Estamos falando dos peixes como salmão, cavala e sardinha, ricos em ômega-3, dos vegetais verde-escuros e dos cereais fontes de ácido fólico, das frutas cítricas, que contêm vitamina C, das uvas, que oferecem boas quantidades de resveratrol, e do cacau, que protege a saúde graças aos flavonoides e polifenóis de sua composição.