O GH, hormônio responsável pelo estirão de crescimento da adolescência, tem funções nobres também na vida adulta: é importantíssimo para a manutenção da massa magra e para a queima de gordura. Mas nem sempre é preciso lançar mão das seringas para contar com ele. Medidas simples regulam sua produção natural e favorecem o corpo sem descuidar da saúde

 

Níveis de GH diminuem com a idade. E agora?

O único problema é que a produção do hormônio GH diminui naturalmente com a idade, uma das razões para que a perda de massa muscular e o aumento da massa gorda, após os 30 anos, ganhem força. “A partir da terceira década de vida, a quantidade de GH produzida pelo organismo começa a reduzir em uma proporção de 10% a 14% a cada dez anos”, esclarece Cesar Luiz Boguszewski, chefe do serviço de endocrinologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (PR). Maus hábitos podem acelerar esse processo. “Uma dieta inadequada, tabagismo, sedentarismo e sono de má qualidade também fazem que os níveis do hormônio do crescimento caiam”, diz Edmond Saab.

Por fim, doenças mais sérias podem influenciar na atividade da glândula responsável por secretar o hormônio. “A baixa de GH costuma ocorrer quando há algum tumor na região da hipófise ou se há algum defeito genético”, explica Pedro Saddi. Para resolver a deficiência, há o hormônio produzido em laboratório, que é receitado pelos médicos em forma de injeção, para aplicação subcutânea.