Sem que você saiba, o clima pode ser um dos fatores que mais atrapalha a sua dieta. Veja como minimizar essas interferências

Reportagem: Rita Trevisan e Thaís Macena 

Inimigo oculto das dietas

Agentes externos, como o clima,
podem atrapalhar sua dieta

Foto: Danilo Borges

O clima pode ser um grande inimigo da sua dieta. A variação da temperatura influencia no gasto calórico, na disposição para malhar e até no humor, aumentando a vontade de comer doces e outras guloseimas. O frio é o período do ano em que é mais difícil manter a linha. A fome aumenta, assim como a dificuldade de ingerir alimentos crus. “Nessa época, o gasto de energia é maior, para manter a temperatura corporal adequada. Por isso, sentimos mais vontade de comer alimentos calóricos”, explica Suzana Bonumá, nutricionista da Food Coach Consultoria Nutricional (SP).

Além disso, o frio e a chuva transformam o fato de pular da cama cedo ou de adiar a hora de se recolher em um verdadeiro sacrifício. A queda no ânimo, típica das estações frias, tem uma explicação interessante. “Estudos já demonstraram que a circulação dos níveis de serotonina, neurotransmissor relacionado ao bem-estar, decresce nos dias cinzentos, assim como o nosso pique. O problema é que, além de deixar de malhar, muitas pessoas ainda descontam na alimentação, comendo mais e pior”, afirma Suzana Bonumá. Felizmente, há estratégias para driblar isso. Confira dicas para aproveitar o melhor de cada estação!

Primavera

A estratégia é abusar do consumo de verduras, frutas e legumes crus, pois é a época do ano em que esses alimentos são mais tenros, saborosos e baratos. Eles vão prolongar a saciedade, evitando ataques de compulsão. Aliás, essa também é a estação em que a maioria das pessoas inicia um programa alimentar de emagrecimento, logo depois do inverno. Porém, é preciso ter cuidado com regimes muito restritivos, que diminuem o ritmo do metabolismo. O melhor é fazer muita atividade f­ísica e aumentar o consumo de alimentos saudáveis, apostando em pratos coloridos e com vegetais de todos os tipos.

Verão

Aproveite o calorão para aumentar o consumo de água, frutas, verduras e legumes. Coma um bom prato de salada nas refeições principais e troque os doces pelas frutas geladinhas. Por outro lado, resista a outras opções de alimentos refrescantes, como os sorvetes cremosos, os refrigerantes e as cervejinhas do happy hour. Intensi­fique a atividade f­ísica, mexendo o corpo até em seus momentos de lazer com a família. Vale jogar vôlei na piscina, caminhar na praia ou andar de patins. É preciso ter cuidado dobrado com a hidratação. O aporte de água ajuda a manter o metabolismo no ritmo.

Outono

Com a baixa umidade do ar, os cuidados com a hidratação são super importantes. Se for dif­ícil beber muita água, por causa das temperaturas mais baixas, a pele para alimentos como alface, tomate, melão e melancia, que têm alto poder hidratante. Nos lanchinhos, em vez das frutas cruas, opte pelas frutas secas ou aquecidas com canela. Nas refeições principais, experimente incrementar as entradas com novos temperos, para enganar o paladar: orégano, coentro, cheiro-verde, alecrim e hortelã. As f­ibras dos vegetais serão o seu grande trunfo no período, pois ajudam na saciedade e na regulação do intestino.

Inverno

Para compensar a falta de pique, inclua chás estimulantes na sua rotina, como o chá-verde, de gengibre e de canela. Eles ajudam a acelerar o metabolismo. Além disso, pref­ira alimentos e bebidas quentes, que auxiliam na regulação da temperatura corporal. Valem os caldinhos de legumes ou feijão sem macarrão ou arroz, o leite com achocolatado light, entre outras opções magras. O líquido preenche o estômago e sacia! Na hora dos vegetais, f­ique com os legumes e as verduras refogados, quentinhos. Outra dica importante é não parar de malhar. Os exercícios também liberam serotonina!