Só se fala no óleo de coco ultimamente. Mas por que será que esse ingrediente está tão em alta? Confira!

Por Caroline Randmer | Foto Shutterstock | Adaptação web Ana Paula Ferreira



É só sobre o óleo de coco que se fala ultimamente, e não à toa: ele contém um tipo de gordura saturada que é melhor absorvida pelo organismo, em especial pelo fígado. Isso faz com que o alimento seja rapidamente convertido em energia, evitando o acúmulo de gordura no corpo. “O óleo ainda estimula o funcionamento da tireoide, promove a quebra das gorduras do tecido adiposo, garante saciedade de sobra e aumenta a atividade celular em geral, fazendo com que nosso mecanismo interno use cada vez mais calorias para funcionar”, enumera Letícia Fontes, nutróloga da Clínica MEI, de São Paulo (SP). Daí sua fama quando se trata do auxílio no processo de emagrecimento

Mas isso não é tudo. Um de seus principais componentes, o ácido láurico, tem propriedade antibacteriana, favorecendo a microbiota intestinal e fortalecendo as defesas do organismo. E se você está preocupada com o colesterol, saiba que o óleo de coco regula os níveis dessa gordura no sangue — reduzindo a quantidade da versão ruim, o LDL, e aumentando a versão boa, o HDL — o que previne uma série de problemas cardiovasculares. E aí? Encontrou motivos suficientes para adicionar esse superalimento ao cardápio?

Quer conferir mais sobre nutrição? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui