A musa fitness mais influente do Brasil revela os seus segredos diários – que não caberiam em um post – que ajudam a manter esse corpo sarado e inspiram milhões de seguidores

Por Melissa Lenz | Edição Karine César | Fotos João Arraes | Adaptação Ana Paula Ferreira



“Raramente subo em uma balança. Vario entre 58 e 60 quilos. Agora devo estar nos 59, mas gosto dos 58. Fico feliz da vida nesse peso”, conta a digital influencer Gabriela Pugliesi, de 1,70 m, com 32 anos — e mais de 3,6 milhões de seguidores no Instagram. Mas para chegar a esse corpo escultural, a ex-adolescente gordinha que virou a expoente das blogueiras fitness no Brasil sabe muito bem o que funciona para ela.

Superdisciplinada com a sua alimentação — sem inventar moda — e focada à beça em seus treinos — só faz o que já sabe que funciona — Pugliesi contou à Corpo a Corpo sua rotina diária de cuidados.

Para despertar

Todo dia de manhã, ela toma um limão espremido com água morna, algumas gotas de própolis e cápsulas de espirulina e clorela (proteínas vegetais). “Isso é de lei há muitos anos”, diz. Em seguida, prepara um litro de chá indicado pelo seu nutricionista Luciano Bruno, de São Paulo (SP). “Atualmente revezo o de carqueja com o de moringa. Sempre acrescento gengibre em rodelas para dar uma turbinada, já que o alimento é termogênico (acelera o metabolismo). Coloco na garrafa térmica e vou tomando ao longo do dia.”

Antes e depois da malhação

Gabriela conta que não costuma comer nada para treinar. Só toma Bulletproof Coffee — café orgânico coado na hora — e óleo de coco. “Cada pessoa é de um jeito. Se eu me alimento, passo mal e fico com preguiça. Para mim, funciona”, garante. Depois do treino, no entanto, ela não fica em jejum. São dois ovos mexidos temperados com cúrcuma ou, na maioria das vezes, um smoothie de abacate (bata no liquidificador 150 ml de bebida vegetal de amêndoa ou de castanha, 3 col. (sopa) de abacate e 1 scoop de whey protein). A bebida também serve como um inibidor de doces ao longo do dia — ponto fraco da loira.

O que fica de fora

Para manter esse shape, obviamente há restrições. Ela raramente come fritura. Doce, só quando dá muita vontade e, mesmo assim, aos fins de semana. Açúcar, nem pensar. “Uso adoçantes, como o xilitol, ou mel.” Outro ingrediente que não entra em seu cardápio é o glúten. Embora a base de sua dieta não seja vegetariana, já que tem peixes e frutos do mar, desde criança a carne vermelha não faz parte de sua rotina.

Menos carboidratos

Ter reduzido esse nutriente do cardápio fez toda a diferença no metabolismo da loira. “Por meio do mapeamento genético, vimos que os carboidratos não faziam bem a ela”, diz Luciano Bruno. Hoje sua dieta é composta basicamente por proteína e gorduras boas — que reduzem o colesterol ruim e ajudam na regulação da insulina, como o abacate, por exemplo. Ocasionalmente, ela também faz um jejum intermitente de 16 horas. “Isso diminui a quantidade de calorias ingeridas no dia e a insulina circulante no organismo”, explica Thiago Volpi, nutrólogo, de São Paulo (SP).

Treino focado

De duas a três vezes na semana, ela treina na academia Bodytech Iguatemi, de São Paulo (SP), com Bruna Crachi, personal trainer da Pink-fit. “Focamos na musculação para membros inferiores, especialmente a região dos posteriores de coxa e dos glúteos. Fazemos isso sempre nos primeiros quarenta minutos da aula”, conta Bruna.

Ao contrário do que pensava, Gabriela descobriu pelo teste de biogenética que o seu corpo queima mais gordura pelo treino de força do que pelo de cardio. “Então, comecei a pegar pesado na musculação. Quanto mais massa magra, mais acelerado fica o metabolismo e, consequentemente, a queima de gordura”, pontua Pugliesi. Nos últimos 20 minutos da aula com a personal, ela faz um circuito para membros superiores e abdome.

Não acabou por aqui, não! Se você quer saber o que mais Gabriela Pugliesi revelou sobre seus treinos e rotina de beleza, basta garantir a edição 347 da Corpo a Corpo! Então corra para a banca ou adquira a sua CORPO aqui → https://goo.gl/gSBSoU