A empresária Michelle Lima trocou o sedentarismo pelo esporte e viu a saúde, a autoestima e os negócios deslancharem. Descubra como a corrida mudou a vida da leitora!

Por Victoria Bassi | Adaptação Ana Paula Ferreira

Antes e depois de Michelle

Fotos Arquivo Pessoal

Olhando para Michelle Lima, 32 anos, nesta foto ao lado, é claro que não dá para dizer que ela estava acima do peso. Mas ela também não era a mesma pessoa que é hoje, depois de ter virado corredora. Magra na pré-adolescência, foi durante um intercâmbio de dois anos para o Canadá, quando tinha 17 anos, que ela começou a ter problemas para manter a forma. Voltou de lá com mais 15 kg porque se jogou no fast food, refrigerante, doces e cereais matinais açucarados. Malhar que é bom, nada.

De volta ao Brasil, caiu a ficha de que as roupas de antes não serviam e de que ela vinha comendo descontroladamente.  “Nunca vou esquecer um dia em que saí para comer com minha família e eu devorei sozinha quase metade de uma travessa de lasanha”, conta. “Todo mundo ficou assustado.”Depois disso, Michelle se matriculou na academia e se jogou nos exercícios aeróbicos para enxugar mais rápido: fazia step,  spinning e caminhada. Em algumas semanas, começou a ver os quilos indo embora.  Mas a grande mudança se deu quando a empresária descobriu a corrida. “É minha meditação, a hora em que relaxo”, fala. “Também me ajuda a lidar melhor com os desafios do dia a dia, a desenvolver confiança para criar meu próprio negócio (ela é sócia de uma grife de sapatos femininos).”

Hoje Michelle praticamente não sai de casa sem um par de tênis – se não nos pés, no porta-malas do carro ou na bagagem de férias. Foi correndo, aliás, que explorou vários lugares pelo mundo, como Japão, Croácia e Havana, em Cuba. Três vezes por semana, ela acorda antes das 6 da manhã e vai correr, seja em grupo ou sozinha. Nos outros dias, faz spinning, pula corda ou pratica uma atividade diferente. 

A vida ativa trouxe motivação também para mexer na alimentação. Ela abandonou a junkie food e as refeições em horários irregulares por uma rotina alimentar focada em perder peso e ganhar pique para correr. “De manhã, depois do treino, como um omelete. “O almoço é sempre arroz,  feijão, salada e uma carne e,  nos lanches intermediários,  como uma fruta ou sanduíche de peito de peru com queijo branco”, detalha. Na TPM,  Michelle não se priva de um chocolate. A mudança de hábitos não veio de uma hora para outra, mas trouxe muito aprendizado. “Tudo na vida você tem que se condicionar: às vezes machuca, mas sempre há um fim recompensador. Aprendi isso com a corrida. O esporte mudou minha vida e me tornou mais disciplinada comigo e com meus objetivos profissionais”, diz.

Segredos de Michelle

Doce com hora marcada

“Se tenho vontade de comer chocolate, faço isso depois do almoço ou de ingerir algo salgado. Assim, a glicose não vira açúcar de uma vez”, fala Michelle.

Olho na balança

Pesar-se todo dia, pela manhã, funciona para Michelle se manter focada e fechar a boca – ou apertar o passo – caso o peso saia do controle.

Líquido certo

Tomar bastante água é um jeito de segurar a fome e manter o corpo funcionando. Diminuir a bebida alcóolica, pelo menos durante a semana, também ajudou no emagrecimento.

Quer conferir mais histórias de motivação? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!