Que atire a primeira pedra quem nunca compartilhou um colchonete na academia. Mas, será que tudo bem emprestar os acessórios utilizados no treino? Veja a resposta

Texto Amanda Nicácio | Adaptação Ana Araujo

Posso emprestar meus acessórios da academia?

Nada de emprestar luvas de boxe!

Foto: Caio Mello

A academia é um dos lares preferidos de bactérias e fungos. Que é preciso higienizar os aparelhos com álcool 70 você já sabe, mas o que fazer com os acessórios usados durante o treino? “Eles também são ideais para bactérias proliferarem, principalmente a Staphylococcus aureus, que pode desencadear doenças como pneumonia e até inflamações nos ossos. Por isso, nem todo acessório deve ser compartilhado”, afirma Jorge Luiz Mello Sampaio, médico assessor das áreas de microbiologia e parasitologia do Fleury Medicina e Saúde (SP). Para não correr riscos, indicamos os acessórios você pode ou não pegar emprestado durante os exercícios:

Não pode

Luvas de boxe. Para higienizá-las, é preciso lavá-las com água e sabão e deixá-las secar naturalmente – nem é preciso dizer que esse processo leva um tempão, né? Então, se possível, leve suas próprias luvas. “Se não tiver jeito, lave bem as mãos antes e depois de usá-las”, indica Sampaio.

Garrafa de água. Nunca, jamais pegue emprestada ou empreste. Todas as bactérias que estão na boca da pessoa serão transmitidas para a outra num piscar de olhos.

Pode (mas com cuidado!)

Meia de pilates. Sempre use uma meia por baixo da meia de pilates, assim você impede que as bactérias encostem na sua pele.

Caneleira. Assim que terminar o treino, tome banho – na academia mesmo, para não levar micro-organismos pra casa.

Tá liberado

Colchonete. “O álcool 70 não mata fungos, porém, se for reaplicado várias vezes ao dia, ele tirará os resíduos orgânicos prejudiciais à saúde”, explica.

Touca de natação. O cloro da piscina é 100% eficaz no combate aos fungos e bactérias.

Fica a dica: Nunca compartilhe acessórios se você estiver com a pele machucada. Um ferimento aberto é o principal canal para que germes entrem no seu organismo.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 320