Essa é uma daquelas modalidades perfeitas para quem cansa rápido da rotina quando o assunto é atividade física. Confira tudo que você precisa saber sobre o treino funcional!

Texto Ana Paula De Araujo | Edição Karine César | Foto Shutterstock | Adaptação web Ana Paula Ferreira



Rotina é uma palavra que não existe no vocabulário de quem faz treino funcional. “A gama de exercícios varia desde os mais simples, que podem ser praticados por qualquer pessoa, até os difíceis, que exigem condicionamento físico”, ensina Demétrio Ferrari, educador físico da Fórmula Academia Brooklin, de São Paulo (SP). “Partir do básico para o complexo é fundamental para garantir segurança e eficiência no desenvolvimento atlético”, acrescenta Marcio Lui, personal trainer da academia Bodytech e da apresentadora Sabrina Sato, de São Paulo (SP). 

O treino é baseado em movimentos naturais do ser humano, como puxar, empurrar e sentar. Conforme for evoluindo na modalidade, o professor poderá reduzir o tempo de descanso entre as séries e até incluir exercícios aeróbicos curtos e de alta intensidade. Essas estratégias exigirão mais de seu corpo, turbinando o gasto calórico. O treino deve ser realizado três vezes por semana, com duração de 40 a 60 minutos.

Ponto positivo: a modalidade trabalha o corpo de maneira integrada,  estimulando, ao mesmo tempo, força, equilíbrio, velocidade, flexibilidade, resistência e coordenação.

Ponto negativo: o principal objetivo do treino funcional não é a hipertrofia — ou seja, se você quer ganhar músculos, melhor apostar em outra atividade.

Quer saber mais sobre modalidades de treino? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!