Aquela pausa aparentemente inofensiva pode causar um baita estrago em sua silhueta e no desempenho. Saiba quais são as consequências de ficar 6 meses sem treinar

Texto Ana Paula de Araujo, Rita Trevisan e Louise Vernier | Edição Karine César | Fotos 123rf | Adaptação web Ana Paula Ferreira



Ao passar 6 meses longe dos treinos, seu metabolismo sofre um baque em razão da provável perda de massa magra que ocorreu nesse semestre. Da mesma forma, a flexibilidade, a força e a resistência estão quase como as de uma iniciante. O problema aqui é o grande acúmulo de ácido lático, produzido por meio de reações químicas. “Para que o músculo funcione, ele precisa de glicose, que pode vir por duas vias: oxigênio ou fermentação. A primeira só acontece quando o corpo está bem condicionado. Quando isso não é possível, o organismo procura a glicose por meio da quebra de gordura e de proteína e, daí, surge o ácido lático, que causa dores”, explica Artur da Fonseca.

Você vai precisar de dois ou três meses de muita disciplina para chegar aos resultados de antes. Inicie calmamente, exercitando-se três vezes por semana no primeiro mês, diminuindo bem a velocidade, as séries, as repetições e os pesos, em pouco mais de 50%, em relação ao que estava acostumada a fazer antes da pausa. O ideal é realizar mais repetições com menos carga. No segundo mês, vá retomando gradativamente, intensificando as atividades até que elas alcancem mais ou menos 70% do habitual. Só no terceiro mês é que você vai estar pronta para uma rotina de treinos mais puxada.

Quer conferir mais sobre treino? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!