O boxe exige muita disposição e força de seus praticantes. Confira as informações principais e os pontos positivos e negativos da modalidade!

Texto Ana Paula De Araujo | Edição Karine César | Foto Shutterstock | Adaptação web Ana Paula Ferreira



É preciso disposição e muita força para se jogar nos treinos de boxe. As aulas, que variam de uma a duas horas, são divididas entre aquecimento e luta. A princípio, nada de sacos de pancada — as primeiras quatro aulas são dedicadas a aprender técnicas de golpes, esquivas e outros elementos que englobam a arte marcial. Nessa etapa, o professor pegará pesado no trabalho aeróbico e de fortalecimento — acessórios característicos do treino funcional, como a faixa elástica, também podem ser utilizados para intensificar os exercícios. “Olhar-se no espelho enquanto golpeia é uma boa forma de corrigir a postura e melhorar a técnica”, afirma Marcos Pereira Caldas, professor de boxe da academia Competition, de São Paulo (SP). 

Assim como o MMA, só sobe no ringue quem se sentir preparada. Devido ao desgaste físico e emocional do embate, são necessários de três a seis meses de preparo.

Ponto positivo → Quer melhor válvula de escape do que dar socos em um saco de pancadas?

Ponto negativo → Dada a intensidade da atividade, é melhor não encará-la se tiver problemas nas articulações.

Quer saber mais sobre modalidades de treino? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!